Band Multi

Preparação dos fósseis do “Dino Titã de Marília” é feita em Brasília

O paleontólogo, William Nava, acompanhou os trabalhos

Por Hiltonei Fernando

O paleontólogo, William Nava, acompanhou os trabalhos
O paleontólogo, William Nava, acompanhou os trabalhos
foto: divulgação
Topo

O paleontólogo, William Nava, do Museu de Paleontologia de Marília-SP, esteve na Universidade de Brasília (UnB), campus de Planaltina, para auxiliar a continuidade da preparação dos fósseis do ‘Dino Titã de Marília’, que estão guardados na instituição para preparação e estudos desde 2015. O objetivo é determinar se o achado é uma nova espécie de dinossauro.
 
Os trabalhos de preparação e estudo são coordenados pelo professor Rodrigo Santucci, que é geólogo e paleontólogo. Acadêmicos da UnB também auxiliam o professor Santucci. O ‘Dino Titã de Marília’ foi descoberto no ano de 2009 e escavado entre os anos de 2011 e 2012, resultando na coleta de cerca de 70% do esqueleto desse saurópode. O Saurópode é um dinossauro da espécie titanossauro que, em vida, deveria medir entre 13 a 15 metros de comprimento.
 
Os trabalhos ainda constituem na retirada de rochas que envolvem a maioria dos ossos fossilizados, uma tarefa que exige atenção e paciência. Na opinião do secretário municipal do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Nelson Mora, o Dino Titã foi uma grande descoberta feita por William Nava. “Os resultados de seus estudos trarão uma série de informações importantes, inclusive sobre o ambiente da formação Marília naquela época”, considerou o secretário Mora. 
 
Parte da coluna vertebral do ‘Dino Titã’ encontra-se depositado e até o momento partes que foram preparadas revelam detalhes bastante interessantes sobre a morfologia das vértebras do pescoço, indicando se tratar possivelmente de uma nova espécie de titanossauro para os sedimentos da formação Marília, típica do Estado de São Paulo.
 
Informação: Secom/Marília