Band Multi

Avião que fez pouso de emergência em Boituva se envolveu em acidente em 2012

Na época, o paraquedista Alex Adelmann, de 33 anos, morreu

Cida Haddad 12/05/2022 • 17:30 - Atualizado em 12/05/2022 • 22:13
Pouso emergencial foi em área rural de Boituva
Pouso emergencial foi em área rural de Boituva
Vanessa Ferranti

O avião Cessna Aircraft 208, que fez um pouso de emergência no começo da tarde de quarta-feira (11/05) em Boituva, e duas pessoas morreram, já tinha se envolvido em outro acidente aéreo com vítima em junho de 2012. No acidente anterior, o paraquedista Alex Adelmann, de 33 anos, morreu. 

Em 2012, foi constatado, de acordo com o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), que o atleta foi atingido na nuca pela asa da aeronave após saltar no Centro Nacional de Paraquedismo. Uma câmera colocada no capacete da vítima registrou o momento do impacto.

O presidente da Associação Brasileira de Paraquedistas, Rômulo Santos, explicou que todos os aviões utilizados no Centro de Paraquedismo de Boituva são inspecionados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e todas as empresas são fiscalizadas. “Nunca aconteceu acidente fatal em Boituva com passageiro dentro”, comenta Santos. Ele cita o acidente em que Alex Adelmann foi atropelado em queda livre, no ano de 2012, pelo avião de mesmo modelo que fez o pouso de emergência na quarta-feira. “Não foi problema de motor ou pane no avião naquele ano", diz. “Esse avião era considerado o avião mais rápido do Brasil, para lançamento de paraquedista. Laudos da perícia técnica vão identificar o que aconteceu”, complementa. 

Na manhã desta quinta-feira, a aeronave começou a ser desmontada, com o auxílio de um braço mecânico. Galões de combustível também foram retirados dos tanques do avião. O motor já foi levado para perícia na quarta-feira por equipes do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).