Band Multi

DEIC cumpre mandados em fábricas de bebidas alcoólicas falsificadas

Foram cumpridos quatro mandados na região de Campinas e Sumaré; foram necessários dois caminhões para retirar todo material falsificado

*Rafaela Oliveira 25/05/2022 • 13:06 - Atualizado em 25/05/2022 • 13:40
As bebidas falsificadas podem causar riscos à saúde
As bebidas falsificadas podem causar riscos à saúde
Divulgação/DEIC

Durante a operação ‘ALETHEIA’, em Campinas, que cumpriu quatro Mandados de Busca e Apreensão na manhã desta quarta-feira (25), foram apreendidos itens de fabricação de bebidas falsificadas e os responsáveis pelos imóveis foram detidos. Foram necessários dois caminhões para retirar todo material falsificado.  

A operação da Divisão Especializada de Investigações Criminais (DEIC), através da 1ª DIG de Campinas, cumpriu simultaneamente os quatro mandados. Três deles em Campinas, nos bairros Jardim Bela Vista, CDHU Amarais, Padre Anchieta; e um em Sumaré, no bairro Jardim São Lucas.   

No imóvel no jardim Bela vista, em Campinas, era realizada a pintura das tampas das bebidas falsificadas. No segundo imóvel, localizado no CDHU Amarais, as tampas eram secas em uma estufa apropriada para a falsificação de bebidas  

Ainda em Campinas, no Padre Anchieta, havia maquinários para confecção de gravação da marca nas tampas já devidamente coloridas. Foi encontrado diversos moldes de impressão de bebidas de marcas famosas na casa.  

No quarto endereço, no bairro Jardim São Lucas, em Sumaré, funcionava como estado dos produtos falsificados prontos – tampas, caixas das bebidas e adesivos de logomarcas a serem colados nas garrafas.   

Todos os responsáveis das casas foram detidos e estão sendo apresentados na 1ª DIG de Campinas. E a operação segue sendo investigada no 5ºDP.  

Saúde Pública  

A fabricação de bebidas alcoólicas falsificadas vai além da falsificação em si verificada, mas ao crime contra a saúde pública. Devido aos meios de produção precários e a falta de higiene, a bebida falsificada pode causar riscos à saúde do cidadão que ingere acreditando se tratar de um produto original. Segundo a investigação, essas bebidas “são comercializadas sem pudor em bares, adegas, mercados e festas diversas”.  

A operação “ALETHEIA”, qua faz referência a deusa grega da verdade, dá continuidade às demais ações e apreensões que a 1ª DIG vem fazendo ao longo do tempo de produtos falsificados na região de Campinas.   

*Sob supervisão de Rose Guglielminetti.