Band Multi

Dengue: saiba identificar uniformes de equipes de combate à doença em Campinas

Agentes passam a usar camiseta laranja com gola careca e logo da empresa silkado, enquanto o líder da equipe veste blusa verde

Da Redação

Uniformes agora têm camisetas laranja e verde
Uniformes agora têm camisetas laranja e verde
Rogério Capeila/PMC

A Prefeitura de Campinas (SP) informou que, a partir desta semana, foi realizada uma mudança no uniforme dos funcionários da empresa contratada para realizar trabalhos de prevenção e combate à dengue. Em nota, o executivo explica que a mudança ocorreu para facilitar a identificação por parte dos moradores – evitando que não seja autorizada a entrada dos agentes por insegurança. 

Agora, os agentes passam a usar camiseta laranja com gola careca e logo da empresa silkado, enquanto o líder da equipe veste blusa verde com as mesmas características. Antes, a peça era apenas branca. Já a calça permanece na cor cinza.

A empresa celebrou contrato com a Administração no fim de setembro e todos os trabalhadores possuem crachá para identificação pelo morador. Eles são responsáveis por visitas a imóveis em ações como as de controle de criadouros do mosquito Aedes aegypti, vetor da doença, e nebulizações. 

Dúvidas e receio de golpe?

A Secretaria de Saúde ressalta que, em caso de dúvidas ou receio de golpe, a população pode usar dois telefones para esclarecer se realmente trata-se de uma ação de prevenção e combate à dengue. Em dias úteis, o telefone 156 fica disponível das 8h às 17h, enquanto aos sábados, quando são realizados os mutirões, a alternativa é o 199, da Defesa Civil.

O coordenador do Programa de Arboviroses e Zoonoses de Campinas, Fausto de Almeida Marinho Neto, enfatizou que o serviço é essencial para enfrentamento à epidemia. 

"É muito importante que a população autorize a entrada desses agentes para realização do trabalho que é de suma importância para a saúde de todos", explicou.

Epidemia 

Campinas está em situação de emergência para dengue desde 7 de março. Neste ano, a Secretaria de Saúde já registrou 83.363 casos confirmados e 23 mortes pela doença.
 

Tópicos relacionados