BandNews FM

Após aplicação errada, cidade da Paraíba paralisa imunização de crianças

Antes da chegada das vacinas pediátricas, unidade de saúde no município de Lucena aplicou doses da Pfizer em crianças

Rádio BandNews FM 18/01/2022 • 10:21
 36 receberam vacinas vencidas e 13 tomaram doses dentro do prazo de validade
36 receberam vacinas vencidas e 13 tomaram doses dentro do prazo de validade
Foto: Reprodução/Redes Sociais

A vacinação contra a Covid-19 em Lucena, na região metropolitana de João Pessoa, está suspensa depois da repercussão do caso da aplicação indevida de imunizantes em crianças no começo de janeiro.

O secretário de Saúde da cidade, Antônio Paulo, foi exonerado do cargo após a revelação e o prefeito Leo Bandeira vai ser ouvido nesta terça-feira (18) pelo Ministério Público Federal.

A Secretaria Estadual de Saúde comprovou o erro na vacinação e constatou que 49 crianças receberam indevidamente doses dos imunizantes destinadas aos adultos.

As vacinas, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, estavam vencidas e teriam sido aplicadas sete dias antes da chegada das doses pediátricas à Paraíba.

Dessas, 36 receberam vacinas vencidas e 13 tomaram doses dentro do prazo de validade.

Em depoimento ao Ministério Público Federal, a técnica de enfermagem, que teria sido responsável pela aplicação indevida das vacinas, disse que recebeu uma ordem do setor de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde de Lucena para vacinar todas as pessoas da comunidade, pois as doses da Pfizer iriam vencer.

Qual a diferença entre as vacinas?

A vacina pediátrica da Pfizer tem uma concentração dosagem menor e uma concentração diferente de RNA mensageiro, o principal composto do imunizante. Cada criança deve receber a aplicação de 0,2 ml da vacina, enquanto nos maiores de 12 anos, a dose é de 0,5 ml.

As crianças que receberam as doses destinadas aos adultos são monitoradas por profissionais de saúde e não apresentaram complicação após a vacinação, embora alguma tenham sentido reação ao imunizante.