BandNews FM

Ato pró-Bolsonaro contará com carro de som e discursos de apoiadores

Manifestação ocorre neste domingo (25) e recebe uma atenção para que não haja ataque a instituições

Maria Cecília Dallal

Jair Bolsonaro é investigado por uma suposta tentativa de golpe de Estado em 2022
Jair Bolsonaro é investigado por uma suposta tentativa de golpe de Estado em 2022
Agência Brasil

O ato político convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) para este domingo (25), na Avenida Paulista, terá um carro de som financiado pelo pastor Silas Malafaia e contará com a presença de diversos políticos.

De acordo com a colunista da Rádio BandNews FM Mônica Bergamo, o pastor acredita que o uso de apenas um veículo diminuirá o risco de algum apoiador falar “alguma besteira”.

O evento vai ser aberto por uma oração feita por Michelle Bolsonaro e apoiadores do ex-presidente discursarão.

Em entrevista à BandNews FM na manhã desta sexta-feira (23), o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), afirmou que não vê a manifestação como um ato de agravo ao Supremo Tribunal Federal (STF), mas sim como uma “defesa pública”, e afirmou que estará presente no dia.

O governador  de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), confirmou, neste sábado (24) que vai participar da manifestação. 

Após confirmar a presença, o governador mineiro alfinetou o presidente Lula nas redes sociais. Zema disse no X, no antigo Twitter, que é “inadmissível que o presidente continue comparando conflitos com o Holocausto, apenas para agradar partidários”.

A crítica é uma resposta à comparação feita pelo presidente da República entre os ataques feitos por Israel na Faixa de Gaza com o massacre de judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

Zema disse que Israel e milhões de judeus são ofendidos com a postura de Lula.

Além de Zema, também já garantiram presença os governadores de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), de Santa Catarina, Jorginho Mello (PL), e de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil).
 

Além deles, o deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG) e o senador Magno Malta (PL-ES), aliados a Bolsonaro, também estão escalados para discursar. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), também confirmou presença e terá direito ao microfone.

No vídeo divulgado nas redes sociais na segunda-feira (12), Bolsonaro convoca aliados para se defender de “todas as acusações imputadas” a ele e pediu para que fossem trajados de verde e amarelo.

A orientação aos manifestantes é que não levem faixas ou cartazes contra instituições ou figuras públicas e há um cuidado especial para que não ocorram ataques ao STF.

A Operação Tempus Veritatis (“hora da verdade”, em latim), deflagrada pela Polícia Federal mediante autorização da Suprema Corte, investiga Jair Bolsonaro por uma suposta tentativa de golpe de Estado em 2022.

A ação cumpriu 33 mandados de busca e apreensão e quatro de prisão preventiva contra militares, ex-ministros e aliados.

Na última quinta-feira (22), Jair Bolsonaro foi convocado a prestar depoimento à Polícia Federal, mas permaneceu em silêncio. A defesa do ex-presidente tentou adiar o julgamento, que foi negado pelo STF.

A ideia é que, diante das investigações, a manifestação possa aumentar o poder político de Bolsonaro.

*Sob supervisão de Elaine Freires

Tópicos relacionados