BandNews FM

Bloco da Pabllo Vittar é encerrado antes do previsto após desmaios e tumultos

Cerca de 1 milhão de pessoas compareceram ao Parque Ibirapuera para os eventos do segundo dia de Carnaval

Rádio BandNews FM

A cantora Pabllo Vittar e a aglomeração no Bloco da Pabllo 2024
A cantora Pabllo Vittar e a aglomeração no Bloco da Pabllo 2024
Reprodução/Instagram e Twitter/@pabllovittar e @policiamilitarsp_oficial
Topo

O bloco da Pabllo Vittar, no Parque Ibirapuera, foi encerrado antes do previsto, neste domingo (11), em meio a tumultos e desmaios. A artista trouxe uma multidão para a região, com fãs que acompanharam os shows da estrela pop e do sertanejo Michel Teló, no começo da tarde, na Zona Sul de São Paulo.

Vários foliões passaram mal em meio à multidão por causa do calor e precisaram ser socorridos por bombeiros e médicos. De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura, a temperatura alcançou 32ºC. Além dos casos de desmaio, insolação e desidratação, algumas pessoas foram esmagadas na grade, perto do trio elétrico, em razão da superlotação.

A concentração para o início do bloco da Pabllo estava marcada para o meio-dia, mas a cantora só iniciou o show por volta de 14h00, o que gerou reclamações de parte do público. Durante o evento, a artista e a organização do bloco chegaram a distribuir água para os espectadores numa tentativa de amenizar o calor.

O show foi cancelado duas horas após começar, por volta das 16h00. A previsão era de que o bloco terminasse só às 19h30. Conforme um balanço da Secretaria Municipal da Saúde, até as 15h, cerca de 150 pessoas foram atendidas em postos de atendimentos ao longo do trajeto do bloco. Nos postos próximos ao Ibirapuera (Monumento das Bandeiras, Obelisco e portão 9), foram 45 atendimentos.

Em nota enviada à reportagem, a assessoria da cantora Pabllo Vittar informa que “em função do calor que faz na cidade de SP, e com a multidão reunida para o bloco, a artista tomou a decisão de pausar o trio após avistar algumas pessoas passando mal e cedeu a corda para facilitar o trabalho do corpo de bombeiros, e só voltou com a situação normalizada”.

Tópicos relacionados