BandNews FM

Caso Salgueiro: Delegacia de Homicídios pede perícia de armamento usado pela Polícia Militar em operação

Ação da PM deixou 10 mortos

BandNewsFM 23/11/2021 • 22:19 - Atualizado em 24/11/2021 • 08:17
Polícia Militar enfrenta inquérito após operação no Complexo do Salgueiro
Polícia Militar enfrenta inquérito após operação no Complexo do Salgueiro
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo aguarda a Polícia Militar apresentar as armas utilizadas durante operação do Bope no último domingo que terminou com 10 mortos no Complexo do Salgueiro, na Região Metropolitana. 

O armamento vai passar por perícia. A delegacia já pediu a lista de todos os agentes que participaram da ação.

Moradores também serão intimados e devem prestar depoimento. A Polícia Civil ainda aguarda o resultado da perícia dos corpos, mas já antecipou que não há indícios de tortura.

Relembre o caso

A operação do Bope foi realizada no conjunto de favelas após a morte de um sargento da PM. Entre os mortos, Igor da Costa Coutinho, apontado pela Polícia Militar como um dos suspeitos de matar o agente.

Os nove corpos já foram identificados. Oito foram encontrados em área de mangue da comunidade e retirados pelos próprios moradores da região. Desses, quatro não tinham passagem pela polícia.

De acordo com a PM, um menor que não tinha registro de ocorrência era um dos quatro suspeitos que estavam utilizando roupas camufladas. Uma foto do jovem com um fuzil circula na internet. A Polícia Civil confirmou que a imagem é do adolescente.

A dona de um bar no Complexo do Salgueiro que preferiu não se identificar afirma que e o estabelecimento foi invadido por policiais e um recado foi deixado na porta, agradecendo pela recepção. 

Procurada, a corporação ainda não se pronunciou sobre o episódio. O Ministério Público e a Defensoria investigam a ação da PM.

Considerado uma das regiões mais violentas do Rio de Janeiro, o Complexo do Salgueiro é formado por sete comunidades. Só neste ano, o conjunto de favelas registrou 42 confrontos, segundo a plataforma Fogo Cruzado. Em média, um tiroteio por semana.