BandNews FM

Conduta de policiais em operação com mais de 20 mortos no RJ será investigada

Ação foi realizada no Complexo da Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro

Rádio BandNews FM 24/05/2022 • 17:38 - Atualizado em 26/05/2022 • 15:53
Sete pessoas ficaram feridas na operação emergencial.
Sete pessoas ficaram feridas na operação emergencial.
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O Ministério Público Federal instaurou um procedimento investigatório criminal para apurar a conduta de policiais militares e de agentes da Polícia Rodoviária Federal em operação nesta terça-feira (24).

A ação foi realizada no Complexo da Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro, e deixou 22 pessoas mortas. De acordo com a PM, entre as vítimas estão 21 suspeitos e uma moradora vítima de bala perdida.

Sete pessoas também ficaram feridas. Entre elas, está um policial civil da Delegacia de Homicídios da Capital, que foi atingido por estilhaços. O agente foi socorrido para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, onde passa por atendimento. A equipe dele foi até a comunidade da Chatuba, também no Complexo da Penha, para fazer perícia no lugar onde a moradora foi baleada e acabou morrendo.

Segundo o porta-voz da PM, tenente-coronel Ivan Blaz, o Comando Vermelho, que é a facção que atua naquela região, passou a dar abrigo a traficantes de diversos estados, que comandam do Complexo da Penha, as atividades ilegais no Norte e Nordeste do Brasil.

A operação foi emergencial porque a inteligência da corporação detectou a movimentação de centenas de traficantes que estavam escondidos no Complexo da Penha e iriam se deslocar.

De acordo com a PM, o bando é o responsável por 8 em cada 10 confrontos no Rio de Janeiro. Logo nas primeiras horas da manhã, policiais militares e agentes da PRF foram recebidos a tiros pelos criminosos.

A maior parte dos confrontos aconteceu em áreas de mata. Pelas redes sociais, os traficantes pediam ajuda a outros criminosos ao ficarem cercados.

A polícia também usou uma retroescavadeira para tirar barricadas colocadas nos acessos à comunidade. Treze fuzis, pistolas, granadas, 20 veículos e grande quantidade de drogas foram apreendidos.

Por causa do tiroteio, 11 escolas municipais não funcionaram, deixando milhares de alunos sem aula.