BandNews FM

Falha em realização de exames antidoping pode tirar três brasileiros de Paris

World Athletics informou que eles não tiveram número mínimo de testes surpresa

Falha em realização de exames antidoping pode tirar três brasileiros de Paris
Wagner Carmo

Três brasileiros classificados aos Jogos Olímpicos de 2024 podem perder a disputa em Paris. A Confederação Brasileira de Atletismo anunciou a convocação sem Livia Avancini, do arremesso de peso, Max Batista, da marcha atlética, e Hygor Gabriel, do revezamento 4 x 100 metros.

Segundo a entidade, a World Athletics e a Unidade de Integridade do Atletismo informaram que os três não cumpriram o número mínimo de testes antidoping. Entre 4 de setembro de 2023 e 4 de julho deste ano, os atletas deveriam ser submetidos a pelo menos três testes sem aviso prévio, fora de competições, e respeitando um período de três semanas entre eles.

A confederação de atletismo informou que Livia Avancini e Max Batista fizeram quatro testes, mas sem o intervalo de 21 dias em dois deles. E, no caso de Hygor Gabriel, dos três testes realizados, dois foram em competição. Esse processo, no Brasil, é realizado pela ABCD, a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem.

Agora, a entidade responsável pelo atletismo brasileiro vai recorrer à CAS, a Corte Arbitral do Esporte, para tentar reverter o caso. O recurso, segundo a confederação, está sendo estruturado pelo advogado e ainda será apresentado.

Em nota, o Ministério do Esporte, responsável pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem, afirmou que a CBAt montou um grupo prioritário de 102 atletas que deveriam ser testados dentro da data limite determinada pela World Athletics. Max Batista e Livia Avancini estavam nesse grupo e passaram por dois testes de urina e um de sangue, fora de competição, além de um teste de urina em competição nos últimos 10 meses. A Federação Internacional de Atletismo, no entanto, questiona o intervalo entre os testes.

Já no caso de Hygor Gabriel, ele não estava mapeado como um atleta elegível e, consequentemente, não fazia parte do programa de testes. Apesar disso, o atleta tem dois testes em competição e um teste fora de competição realizados nos últimos 10 meses. ”

A Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem ainda afirmou que a exclusão dos três atletas não decorre de uma falha de procedimento da ABCD ou CBAt.

Tópicos relacionados