BandNews FM

CPI da Pandemia ouve presidente da ANS nesta quarta-feira (6)

Nesta terça (5), o empresário Raimundo Nonato Brasil, um dos sócios da VTC Log, prestou depoimento

BandNews FM 05/10/2021 • 21:23
Diretor da VTCLog nega irregularidades em contratos firmados com o Ministério da Saúde em meio à pandemia
Diretor da VTCLog nega irregularidades em contratos firmados com o Ministério da Saúde em meio à pandemia
Edilson Rodrigues/Agência Senado

A CPI da Pandemia vai ouvir, nesta quarta-feira (6), o presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar, Paulo Roberto Rebello. Ele deve explicar o papel da ANS nas denúncias apresentadas por médicos que trabalharam para a Prevent Senior.

A empresa é suspeita de obrigar os profissionais a prescrever o chamado Kit Covid, formado por remédios sem eficácia contra a Covid-19, além de outras práticas para reduzir os custos no tratamento de pacientes infectados pela doença.

Nesta terça-feira (5), o empresário Raimundo Nonato Brasil, que é um dos sócios da VTC Log, parceira do Governo Federal e do Ministério da Saúde nas questões de logística, prestou depoimento para os senadores.

O empresário também afirmou que a empresa já transportou mais de 300 milhões de doses das vacinas contra a COVID-19, e confirmou os quase 400 milhões de reais em contratos sem licitação. Ainda admitiu que os acordos tiveram um aditivo de R$ 80 milhões por conta da pandemia e, questionado sobre isso, disse que teve muitos custos para atender as demandas. 

Em outro ponto do depoimento, a diretora-executiva da VTClog, Andreia Lima, que estava como advogada de Raimundo Nonato, passou a responder perguntas dos senadores. Ela negou que o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Ferreira Dias tenha recebido dinheiro da empresa.

Além disso, o relator da CPI, senador Renan Calheiros, afirmou que , "com certeza", vai pedir o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro no relatório final.

A comissão também pediu que o Ministério da Saúde detalhe o plano de vacinação contra a Covid-19 para 2022 e que o Tribunal de Contas da União entregue mais informações sobre os motivos que levaram o Ministério a assinar contratos sem licitação com a VTCLog.