BandNews FM

Diretor da Prevent Sênior passa a ser investigado na CPI da Pandemia

O empresário se recusou a dar informações sobre as mortes de dois pacientes

BandNewsFM 22/09/2021 • 22:13
Pedro Batista Júnior negou que tenha sido proibido o uso de Equipamentos de Proteção Individual por médicos da empresa
Pedro Batista Júnior negou que tenha sido proibido o uso de Equipamentos de Proteção Individual por médicos da empresa
Pedro França Agencia Senado

Nesta quarta-feira (22), o colegiado ouviu o depoimento do diretor do Plano de Saúde Prevent Sênior, Pedro Batista Jr, já que a empresa é suspeita de ocultar mortes de pacientes que participaram de um estudo sobre tratamento com medicamentos como a Cloroquina.

Questionado pelos parlamentares, Pedro Batista afirmou que todos os pacientes consentiram em participar do estudo, e que não houve testagem em massa com tal medicamento.

Ainda no depoimento, Pedro Batista Júnior acusou dois ex-médicos da empresa de manipularem uma planilha do estudo e encaminhar o arquivo a uma advogada.

Segundo o diretor-executivo, o dossiê que foi entregue à CPI possui dados manipulados, furtados e adulterados para atacar a Prevent Sênior, e também pontuou que a empresa vem sofrendo acusações sem fundamentos desde o início da pandemia.

Pedro Batista Júnior negou que tenha sido proibido o uso de Equipamentos de Proteção Individual por médicos da empresa, e ressaltou que foram gastos mais de R$ 80 milhões de reais em EPIs e que o Ministério Público comprovou o cumprimento dos protocolos.

Além disso, o Diretor-Executivo afirmou que cada paciente recebia o que era receitado pelo médico, e o depoente também se recusou a dar informações sobre a causa dos óbitos do médico Anthony Wong e da mãe do empresário Luciano Hang.

A CPI afirma ter evidências de que ambos morreram de Covid-19, ao contrário do que foi divulgado.

Antes do término da sessão, o relator da Comissão, Senador Renan Calheiros, passou o Pedro Batista Junior para a condição de investigado. Com isso,  o colegiado chega ao número de 32 investigados, e entre os nomes estão o empresário Carlos Wizard, o Ex-Secretário Executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, além dos médicos Nise Yamaguchi, Paulo Zanoto e Luciano Dias Azevedo.

A comissão vai ouvir, nesta quinta-feira (23), o depoimento de Danilo Trento, os senadores querem entender o  grau de envolvimento do empresário com os contratos da Covaxin, além de Francisco Maximiano, dono da Precisa Medicamentos.

A Comissão também investiga a ligação de Trento com a empresa Primarcial Holding e Participações, além das relações comerciais com Marcos Tolentino que é apontado como sócio oculto do FIB Bank, empresa que avalizou o contrato da Covaxin com o Ministério da Saúde.

  • Política
  • Brasil