Notícias

Fiocruz paralisa produção da vacina AstraZeneca por falta de insumo

A Fundação pretende retomar a produção no dia 1° de junho; Nova remessa de insumos chega dia 22 de maio

20/05/2021 • 15:44 - Atualizado em 20/05/2021 • 15:46
Vacinas da Oxford/AstraZeneca contra covid-19
Vacinas da Oxford/AstraZeneca contra covid-19
Foto: Agência Brasil/Fernando Frazão

A Fundação Oswaldo Cruz espera retomar a produção da vacina de Oxford/AstraZeneca no dia 1º de junho. A atividade precisou ser interrompida nesta quinta (20) por falta de matéria-prima.

Nesta sexta-feira (21), a Fiocruz deve entregar cerca de 5,3 milhões de doses já prontas do imunizante ao Ministério da Saúde. Com o envio, a Fiocruz ultrapassa a marca de 40 milhões de vacinas entregues, sendo 36,2 milhões produzidas em Bio-Manguinhos e 4 milhões importadas prontas da Índia.

Uma nova remessa dos Ingredientes Farmacêuticos Ativos, o insumo básico da vacina, chega neste sábado (22). O IFA é suficiente para a produção de cerca de 12 milhões de doses do imunizante. Segundo a Fundação, o lote vai permitir a entrega de vacinas até a terceira semana de junho.

Segundo a Fiocruz, a paralisação acontece por conta do escalonamento da produção das doses que estimularam o consumo das remessas dos insumos, assim o estoque foi excedido antes do previsto.

Apesar da suspensão, a instituição afirma que não há previsão de impactos nas entregas futuras. A capacidade de produção da Fundação é de cerca de 1 milhão de doses por dia.

Aproximadamente 50 milhões de doses do imunizante já foram produzidas. As demais ainda não entregues passam pelo processo de controle de qualidade e serão liberadas ao longo das próximas semanas.

  • Falta IFA