BandNews FM

Governo Lula mantém cautela após ministro Juscelino Filho ser indiciado pela PF

Ministro das Comunicações estaria envolvido em suposto esquema de desvio de emendas parlamentares

BandNews FM

Governo Lula mantém cautela após ministro Juscelino Filho ser indiciado pela PF
Divulgação/Ricardo Stuckert (Presidência)

O governo Lula mantém a cautela após a Polícia Federal indiciar o ministro das Comunicações pelos crimes de corrupção e organização criminosa.

De acordo com as investigações, Juscelino Filho estaria envolvido em um suposto esquema de desvio de emendas parlamentares.

Ele foi deputado federal pelo Maranhão entre 2015 e 2022.

A Controladoria Geral da União diz que a pavimentação de uma estrada, na cidade de Vitorino Freire, foi feita para beneficiar propriedades do ministro e de parentes.

A irmã de Juscelino Filho, Luanna Rezende, é a prefeita do município desde 2017.

As emendas indicadas pelo então deputado custearam 80% do valor da obra orçada em R$ 7,5 milhões.

A construção em 2022 foi tocada pela empresa Construservice, que segundo a PF, tinha como sócio oculto o empresário Eduardo José Barros Costa.

Os investigadores encontraram trocas de mensagens entre Juscelino Filho e Barros Costa combinando uma transferência de dinheiro.

No mês passado, o ministro das Comunicações foi ouvido na Polícia Federal e afirmou que a obra era uma demanda antiga da população de Vitorino Freire.

Ele reclamou dos métodos usados pelos agentes no interrogatório, segundo ele, parecidos aos da Operação Lava Jato.

Nesta quarta-feira (12), o ministro divulgou uma gravação se defendendo.

Em nota, o União Brasil - partido de Juscelino Filho - destacou que indiciamento não significa culpa.

A sigla também disse ser importante esclarecer que a investigação não tem relação com o trabalho como ministro.

Lula se manifestou sobre o assunto logo após chegar em Genebra, na Suíça.

O presidente promete conversar ainda nesta quinta-feira (13) com o ministro das Comunicações e ressaltou o direito de Juscelino Filho se defender.

Em Genebra, Lula vai fazer um discurso na sede da Organização Internacional do Trabalho.

Em seguida, ele tem uma reunião bilateral com a presidente da Suíça, Viola Amherd,

Depois, Lula participa do lançamento de um selo em comemoração aos 35 anos da publicação do livro “O Alquimista”, de Paulo Coelho, que mora em Genebra.

O presidente sai da Suíça ainda nesta quinta em direção à Itália, onde participa da reunião do G7 até sábado (15). 

Tópicos relacionados