BandNews FM

Luiz Megale: "Quando poderemos dizer que viramos uma Venezuela?"

Aumento da inflação e da fome no Brasil abre espaço para comparações com o país vizinho, onde 94,5% da população vive na pobreza

Rádio BandNews FM 30/09/2021 • 11:49

A disparada da inflação, que superou os 10% em 12 meses, faz com que a variação de preços de produtos básicos ultrapasse os 500% no Brasil. O dado é de um levantamento feito pelo economista-chefe da Confederação Nacional do Comércio, Fábio Bentes, a pedido do jornal O Estado de São Paulo.

O tema foi assunto do comentário do âncora Luiz Megale no Jornal BandNews FM.

No creme dental, por exemplo, o mesmo produto, da mesma marca, pode ser encontrado por preços que variam entre R$ 1,18 e R$ 8 – uma diferença de 578%.

As discrepâncias na casa dos três dígitos, comuns antes do Plano Real, também foram constatadas em outros itens como o leite de caixinha – 408%; no sabonete – 328%; no macarrão – 184%; no sal – 155%; e no feijão – 155%.  

Na avaliação de especialistas, a disparidade é fruto de incertezas quanto à economia e da estratégia de varejistas para se proteger da alta de preços ou aumentar o volume de vendas.  

”Bem-vindos ao Brasil da inflação”

O âncora da BandNews FM, Luiz Megale, lembra o período em que o Brasil viveu uma hiperinflação – entre a década de 80 e 90. À época, havia a necessidade de uma corrida aos supermercados antes de uma disparada nos preços dos produtos (que frequentemente subiam mais de uma vez ao dia).

“Era uma loucura. Você não podia ter dinheiro na carteira, porque esse dinheiro no dia seguinte estaria valendo 5% ou até 10% a menos. Uma vida que hoje não sabemos como foi que a gente viveu, e que aos poucos está voltando”, analisa o jornalista.

Brasil X Venezuela

Megale repercute também às imagens divulgadas pelo Jornal Extra de pessoas no Rio de Janeiro que chafurdam dentro de um caminhão com ossos e pelancas bovinas não aproveitadas pelos supermercados.

“Nos últimos anos, se tem uma frase que todo brasileiro já ouviu é que ‘o Brasil vai virar uma Venezuela’, geralmente em tom de ameaça de adversários políticos. Quando poderemos dizer que viramos uma Venezuela? Quando tivermos a inflação de volta? Quando tivermos gente na rua, incitada por um governo federal, pedindo fechamento de Congresso e de STF? Quando a gente tiver brasileiros garimpando uma pilha de peles, pelancas e ossos?”, questiona.

Relatório divulgado nesta quarta-feira (29) pela Universidade Católica Andrés Bello (UCAB) revela que 94,5% da população venezuelana é composta por pobres. Destes, 76,6% estão abaixo da linha da extrema pobreza, vivendo com menos de 1,2 dólar por dia.