BandNews FM

Ministra da agricultura prevê fim do embargo chinês sobre carne brasileira

China liberou nesta terça (23) importação de lotes de carne bovina que foram certificados antes do embargo do dia 4 de setembro

23/11/2021 • 17:25 - Atualizado em 23/11/2021 • 17:29
Ministra da agricultura prevê fim do embargo chinês sobre carne brasileira
Ministra da agricultura prevê fim do embargo chinês sobre carne brasileira
Foto: Marcelo Casal Jr/ Agência Brasil

A ministra da Agricultura diz que a decisão do governo da China de liberar a entrada de carne bovina brasileira é o primeiro passo para a retomada integral das exportações.  

Ainda em declaração em frente ao ministério, Tereza Cristina afirmou que a decisão alivia os exportadores, pois “tinham muitos desses contêineres que estavam no mar, outros em alguns portos na China” e agora serão liberados para entrar no país.

A Ministra foi positiva em relação ao mercado bovino brasileiro: “Eu acho que o setor mostrou que é forte, que vai continuar exportando e que a carne brasileira tem um lugar sempre nos mercados, porque somos os maiores produtores e exportadores de carne bovina”.

A declaração da ministra da Agricultura vem após a China ter liberado ainda nesta terça (23) a importação de lotes de carne bovina que foram certificados antes do embargo do dia 4 de setembro, segundo a Administração Geral de Alfândegas da China.

Entretanto a liberação não muda a suspensão das exportações da proteína do Brasil ao país asiático. O embargo continua em vigor e completa 80 dias.

Os embarques foram interrompidos após dois casos atípicos de vaca louca terem sido notificados em Minas Gerais e Mato Grosso. Em nota, a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) confirmou a liberação da carga, estimada em pouco mais de 100 toneladas, que já estava a caminho da China quando houve a suspensão da importação.

O país asiático é o principal mercado da carne bovina brasileira e compra quase metade das cerca de 2 milhões toneladas que o país exporta. A retomada total das exportações depende exclusivamente do país asiático.

A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) já se posicionou sobre o assunto e informou que as ocorrências de vaca louca não representam risco para a cadeia de produção bovina brasileira.

Acompanhe a declaração da Ministra da Agricultura Tereza Cristina: