BandNews FM

Pacientes do Hospital São Paulo sofrem com falta de exames e medicamentos

Denúncia é feita por ouvintes da BandNews FM à Central de Ouvintes Ricardo Boechat; pacientes frequentam a unidade e sofrem com a estrutura precária

Rádio BandNews FM 12/07/2021 • 08:35 - Atualizado em 29/09/2021 • 19:05
Dois aparelhos que permitem um método não invasivo de diagnóstico por imagem estão quebrados há quase dois anos
Dois aparelhos que permitem um método não invasivo de diagnóstico por imagem estão quebrados há quase dois anos
Foto: Ouvintes/BandNews FM

Os pacientes do Hospital São Paulo, que pertence à Unifesp, a Universidade Federal de São Paulo, e é mantido pelo governo federal, enfrentam problemas na distribuição de medicamentos, agendamento de cirurgias e exames.  

Dois aparelhos que permitem um método não invasivo de diagnóstico por imagem e, portanto, sem riscos para o paciente, estão quebrados há quase dois anos.

Quem precisa agendar uma cintilografia óssea, exame em que o paciente recebe uma carga de radiação sobre a área a ser investigada, não consegue.

Outros exames de imagem, que são essenciais para pacientes com doenças cardíacas, renais e câncer também apresentam dificuldades para quem vai à unidade, localizada na Vila Mariana, zona sul da capital paulista.

A realização destes procedimentos depende dos aparelhos que não funcionam, conhecidos como Gama Câmara, que utiliza um método não invasivo de diagnóstico por imagem.

Cada aparelho custa cerca de R$ 500 mil, e segundo a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, não há nenhum disponível na rede pública.

Quem precisa fazer algum exame nesse tipo de equipamento recorre à rede conveniada, formada pela parceria público-privada, com apenas 12 unidades para todos os moradores da capital paulista.

Diante das dificuldades para fazer o diagnóstico, muitos pacientes buscam por alternativas fora do SUS.

Há quem pague até R$ 3.000,00 para fazer um exame completo em todo o corpo.

Em nota, a assessoria de comunicação da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, mantenedora do Hospital São Paulo, afirma que os aparelhos estão passando por processo de manutenção e, por isso, o uso está suspenso.

A Central de Ouvintes da BandNews FM cobrou uma data para a conclusão do serviço de manutenção, mas, até o momento, não foi informada.

A Unifesp, que também administra o hospital, não respondeu aos e-mails e ligações da nossa equipe.