BandNews FM

Prefeitura de SP inicia vacinação antiCovid de crianças nesta segunda

Capital recebeu 64 mil doses do imunizante pediátrico da Pfizer para começar campanha em crianças com comorbidades ou deficiência permanente

BandNews FM 17/01/2022 • 07:23
Crianças começam a ser vacinadas em São Paulo.
Crianças começam a ser vacinadas em São Paulo.
Foto: Divulgação/Governo de SP

A capital paulista inicia oficialmente a vacinação contra a Covid-19 de crianças entre 5 e 11 anos nesta segunda-feira (17). Inicialmente, apenas aquelas com comorbidades e deficiência permanente (física, sensorial ou intelectual) podem procurar os postos de saúde. A cidade recebeu na sexta-feira (14) cerca de 64 mil doses da vacina, número insuficiente para as mais de 160 mil crianças com condições de saúde que já permitiriam a imunização.

Os postos de saúde abrem entre 8h e 17h. É possível acompanhar a movimentação nos locais de imunização e onde ocorre a aplicação das doses através do De Olho na Fila.

Os menores devem estar acompanhados dos pais ou responsáveis e será preciso apresentar um laudo médico para comprovar que a criança se encaixa nos grupos vacináveis. É preciso apresentar um documento oficial com foto e o comprovante de endereço da capital paulista.

A distribuição das doses pelos postos de saúde seguiu uma estimativa da Secretaria Municipal de Saúde através das informações disponíveis em atendimentos pretéritos nas unidades básicas do público elegível a se vacinar agora.

A vacina a ser aplicada é da Pfizer e tem embalagem na laranja, para não ser confundida com a vacina aplicada em adultos. São injetados 0,2 ml nas crianças.

O imunizante pediátrico foi liberado pela Anvisa no dia 16 de dezembro e após atraso do Ministério da Saúde foi incorporada ao calendário de vacinação no dia 5 de janeiro.

As primeiras doses chegaram no dia 13 de janeiro, em um carregamento com 1,2 milhão de vacinas vindas da Holanda. Neste domingo (16), um novo carregamento, com a mesma quantidade de imunizantes, chegou ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior de São Paulo, e será distribuído nos próximos dias aos estados e municípios.

A chegada das novas doses não deve alterar o calendário de imunização em São Paulo, restrito ao grupo de crianças com comorbidades ou deficiência permanente.

Segundo a Secretaria municipal de Saúde, as regras para vacinação são as seguintes:

Lista de comorbidades para vacinação de crianças de 5 a 11 anos:  

  • Insuficiência cardíaca; cor pulmonale e hipertensão pulmonar; cardiopatia hipertensiva;  síndrome coronarianas; valvopatias; miocardiopatias e pericardiopatias; doença da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosa; arritmias cardíacas;  cardiopatias congênitas; próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados; talassemia; síndrome de Down; autismo; diabetes mellitus; pneumopatias crônicas graves; hipertensão arterial; doença cerebrovascular; doença renal crônica; imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos); anemia falciforme; obesidade mórbida; cirrose hepática; e HIV.  

Lista de deficiências permanentes para vacinação de crianças de 5 a 11 anos:

  • - Física: limitação motora que cause grande dificuldade ou incapacidade para andar ou subir escadas;  
  • - Sensorial: indivíduos com grande dificuldade ou incapacidade de ouvir mesmo com uso de aparelho auditivo;  
  • - Visual: indivíduos com baixa visão ou cegueira. Considera-se baixa visão ou visão subnormal quando o valor da acuidade visual corrigida no melhor olho é menor do que 0,3 e maior ou igual a 0,05 ou seu campo visual é menor do que 20º no melhor olho com a melhor correção óptica (categorias 1 e 2 de graus de comprometimento visual do CID 10) e considera-se cegueira quando esses valores se encontram abaixo de 0,05 ou o campo visual menor do que 10º (categorias 3,4 e 5 do CID 10);  
  • - Intelectual: indivíduos com alguma deficiência intelectual permanente que limite as suas atividades habituais.

PRIMEIRA CRIANÇA VACINADA

A vacinação de crianças no Brasil começou de maneira simbólica na última sexta-feira (14) com a aplicação das primeiras doses em menores de idade atendidos no Hospital das Clínicas da USP. Um menino indígena de 8 anos e com problemas motores foi a primeira criança a receber a dose da Pfizer.

Davi Seremramiwe Xavante nasceu no Mato Grosso, mas mora em Piracicaba, no interior de São Paulo, por conta dos tratamentos de saúde que realiza em São Paulo. Ele faz parte do grupo prioritário por ter uma condição de saúde que afeta as pernas e o obriga a andar com ajuda de uma órtese, além de ser indígena, que junto com os quilombolas tem preferência na imunização.

Atos simbólicos de vacinação também ocorreram na sexta-feira em Recife, Pernambuco, e em Maricá, no Rio de Janeiro.

No sábado (15), levantamento do Jornal da Band apontou que nove capitais iniciaram a vacinação de menores de idade.