BandNews FM

Ricardo Nunes promete entregar as obras da Av. Santo Amaro até o fim de abril

Atual prefeito também garante que estará presente no ato político convocado por Bolsonaro, neste domingo (25)

Rádio BandNews FM

Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes
Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes
Flickr/Governo do Estado de São Paulo

O prefeito Ricardo Nunes, candidato à reeleição pelo MDB, promete entregar as obras da Avenida Santo Amaro até o fim de abril. Ao ser questionado sobre a quantidade de obras em andamento ao mesmo tempo na cidade, Nunes negou falha de planejamento.

O prefeito afirmou, ainda, que as obras são realizadas conforme há dinheiro para fazê-las e garante que não tirou verbas de áreas como educação para que fossem usadas para a pavimentação da cidade.

Nunes também culpa a burocracia pela demora do início das obras, que acabou misturando o início delas.

Segundo ele, tudo foi feito com recurso próprio e graças a medidas que foram tomadas para trazer "segurança jurídica" e empresários para a capital paulista. “Nós chegamos no menor índice de desemprego, pois as empresas estão vindo para cá e isso gera receita para a prefeitura”.

Com base no Índice de Gestão Municipal Áquila, feito pelo Instituto Áquila, a cidade de São Paulo tem boas notas em quesitos como governança e transparência.

No entanto, numa escala que vai de 0 a 100, a capital paulista tem 36 pontos em "Saúde e Bem Estar", pior nota do sudeste e abaixo do que tinha em 2021.

Questionado sobre o que fazer para melhorar os dados ruins, Nunes diz que se apega nos quesitos em que a nota é boa para recuperar as áreas onde a capital piorou.

Ele não citou o levantamento do Instituto e preferiu exaltar obras que fez na área.

Além disso, o prefeito confirmou que estará presente no ato convocado por Jair Bolsonaro (PL), neste domingo (25), na Avenida Paulista.

Segundo Nunes, o ato é destinado a uma defesa pública do ex-presidente e estar presente não significa que ele seja um representante "bolsonarista" na disputa pela prefeitura: “Eu sou representante da minha história”.

O prefeito também negou que a manifestação seja um ato de agravo ao Supremo Tribunal Federal (STF) e chamou de “ato de democracia”.

Tópicos relacionados