BandNews FM

Setor de serviços cresce 1,2% em maio e recupera nível pré-pandemia

Apesar dos números positivos de maio, o setor de serviços ainda permanece 11,3% abaixo do ponto mais alto da série histórica da pesquisa, em novembro de 2014.

Rádio BandNews FM 13/07/2021 • 14:41
Setor de serviços cresce 1,2% em maio e recupera nível pré-pandemia
Setor de serviços cresce 1,2% em maio e recupera nível pré-pandemia
Agência Brasil

O volume de serviços prestados no país aumentou 1,2% em maio, em comparação a abril, segundo uma pesquisa do IBGE. Em relação a maio do ano passado, o indicador avançou 23%. As áreas que mais cresceram foram as de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio e para serviços prestados às famílias. Também avançaram os serviços profissionais, administrativos e complementares, mas com menor impacto nos índices gerais. Em contrapartida, informação e comunicação e os outros serviços apontaram os únicos resultados negativos.

Com o avanço, o setor de serviços voltou a ultrapassar o nível pré-pandemia e agora está 0,2% acima do patamar de fevereiro de 2020. Essa é a segunda vez que, durante a pandemia, o volume superou o patamar de antes da crise sanitária. Em fevereiro deste ano, o nível chegou a ficar 1,2% acima. A retomada foi interrompida pelo novo crescimento de casos da covid-19 em março.

Justamente por causa disso, o chefe da pesquisa, Rodrigo Lobo, afirma que o aumento registrado em maio ainda não é suficiente.

Apesar dos números positivos de maio, o setor de serviços ainda permanece 11,3% abaixo do ponto mais alto da série histórica da pesquisa, em novembro de 2014. Isso acontece porque, segundo o estudo, os serviços já não apresentavam resultados expressivos mesmo antes da crise. 23 das 27 unidades da federação registraram taxas positivas, com destaque para São Paulo, seguido por Bahia, Minas Gerais e Distrito Federal. As únicas retrações em termos regionais vieram do Tocantins, Mato Grosso, Piauí e Rondônia.

Colunista de economia da BandNews FM, Juliana Rosa repercute os números do IBGE. Acompanhe: