BandNews FM

SP: Pacientes relatam falta de medicamentos e fraldas na rede municipal

Há pelo menos um mês, a "Central de Ouvintes Ricardo Boechat" traz casos de desabastecimentos de vários itens nos postos de saúde da Capital Paulista.

Central de Ouvintes Ricardo Boechat 06/12/2021 • 19:41
SP: Pacientes relatam falta de medicamentos e fraldas geriátricas na rede municipal.
SP: Pacientes relatam falta de medicamentos e fraldas geriátricas na rede municipal.
Foto: Arquivo/Agência Brasil

Pacientes reclamam da falta de medicamentos e insumos nas unidades de saúde de São Paulo. Há pelo menos um mês, a "Central de Ouvintes Ricardo Boechat" traz casos de desabastecimentos de vários itens nos postos da Capital Paulista.

Os problemas atingem pacientes com colesterol alto, hipertensão, doenças psiquiátricas, diabetes e fraldas geriátricas.

O Sertralina, utilizado para tratamento da depressão e sintomas de ansiedade, como o ataque de pânico, TOC e estresse pós-traumático, está em falta há mais de 2 meses nas UBSs.

Na zona sul, a confeiteira Renata Simes já percorreu alguns locais na região do Sacomã.

“Já fui na UBS Moinho Velho, na UBS Vicente de Paula, no AMA Flávio Gianotti e nenhuma tem. Está em falta há bastante tempo e eu estou tendo que comprar. Fica cada vez mais difícil. Quando a gente vai lá, nunca tem um posicionamento ou previsão”, diz a ouvinte.  

A falta do medicamento Sertralina provoca efeitos colaterais como insônia, além de aumentar os sintomas de ansiedade e depressão.

Além do remédio psiquiátrico, a administradora Andréa Afonso precisa de outros fármacos para controlar a pressão e o colesterol da mãe, de 73 anos.

“Tem quase um mês que a gente não consegue medicamento para ela. Ela toma Anlodipino, Losartana e Hidroclorotiazida para a pressão, além do Sinvastatina para o colesterol. Eu fui em três postos e só consegui encontrar um medicamento”, desabafa a administradora.  

O Anlodipino e o Lorsatana são indicados para pacientes com hipertensão ou que enfrentam algum caso de insuficiência cardíaca.

Os medicamentos atuam reduzindo os riscos de acidente vascular cerebral e de ataques cardíacos, oferecendo mais tranquilidade e qualidade de vida para os pacientes.

Há um mês, a Secretaria Municipal da Saúde informou que os dois estavam em processo de compra, porém não deu um prazo para a distribuição.

Quem precisa do Benzoato de Alogliptina para melhorar o controle glicêmico em pacientes adultos com diabetes, também enfrenta dificuldades nos postos das zona oeste e sul.

O analista de suporte Vitor Garcia entrou em contato com a  "Central de Ouvintes" para relatar que a mãe, de 72 anos, está há 3 meses sem conseguir retirar uma sonda uretral na UBS Vila Alpina, na zona leste.

“A última vez que ela conseguiu retirar a sonda foi em setembro. Ela precisa de 120 sondas por mês. As unidades só informam que não tem o produto, além de outros medicamentos e fraldas”, diz o ouvinte.

Procurada, a Secretaria Municipal de Saúde informa que foi realizada a compra de 30 milhões de comprimidos do medicamento Lorsatana, que estão previstos para serem entregues nesta semana.  

Em relação ao Omeprazol, a Pasta afirma que realizou a compra e recebeu 14 milhões de comprimidos em outubro. Um novo processo de compra do fármaco está em andamento.

Sobre o medicamento Benzolato de Alogliptina, não faz parte da lista de insumos distribuídos pela rede municipal.  

Com relação aos outros medicamentos citados, a Secretaria informa que estão em processo de compra e, em breve, serão distribuídos às unidades de saúde.