BandNews FM

“Terrivelmente evangélico”, Mendonça fala em Estado laico e imparcialidade

André Mendonça é o segundo indicado de Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal; ex-ministro da Justiça é apoiado pela base evangélica

BandNews FM 01/12/2021 • 14:11
A sabatina ocorre depois de quase 5 meses da indicação feita por Bolsonaro
A sabatina ocorre depois de quase 5 meses da indicação feita por Bolsonaro
José Cruz / Agência Brasil

O ex-ministro da Justiça André Mendonça, indicado do presidente Jair Bolsonaro para uma vaga no Supremo Tribunal Federal, comprometeu-se com o Estado laico e disse que será imparcial aos interesses do governo. 

Mendonça é sabatinado nesta quarta-feira (1) na Comissão de Constituição e Justiça do Senado.

A CCJ é o primeiro passo para a confirmação do nome de Mendonça para ocupar a cadeira deixada por Marco Aurélio Melo no Supremo. Após a sabatina, os membros da Comissão votam se apoiam ou não o nome do ex-ministro. 

Mesmo assim, a palavra final cabe ao plenário do Senado, que pode votar o nome do indicado ainda nesta quarta. Mendonça é o segundo indicado de Bolsonaro ao STF.

Na sabatina, o indicado afirmou que a missão de ser ministro do Supremo Tribunal Federal vai muito além de um governo, prestando o compromisso de julgar pela Constituição e se comprometendo com a democracia.

Mendonça disse também que mesmo sendo evangélico, não há espaço para questões religiosas em sessões da Suprema Corte.

Bolsonaro defendia que Mendonça começasse as sessões da Corte com uma oração e disse que almoçaria todas as semanas com o indicado para discutir os temas em destaque no Tribunal.

As falas do presidente suscitaram dúvidas sobre a imparcialidade do indicado, que estaria alinhado com o presidente.

A sabatina é relatada pela senadora Eliziane Gama, que também é evangélica. É a primeira vez que uma mulher relata uma indicação ao STF.

No relatório apresentado, a parlamentar apontou o currículo do ex-ministro e o que chamou de capacidade técnica do indicado.

A sabatina ocorre depois de quase 5 meses da indicação feita pelo presidente Jair Bolsonaro.