BandNews FM

VÍDEO: Ambulante deficiente é agredido por agentes da CPTM em São Paulo

As imagens chegaram pela Central de Ouvintes da BandNews FM e foram registradas no último fim de semana. Um ambulante deficiente, que não tem uma das pernas, é abordado de forma agressiva por três seguranças da CPTM.

Central de Ouvintes Ricardo Boechat 21/12/2021 • 14:52
O ambulante tenta levantar, mas é impedido pelos três homens.
O ambulante tenta levantar, mas é impedido pelos três homens.
Reprodução/Redes Sociais

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra uma confusão entre um ambulante e três agentes de segurança da Estação Granja Julieta, da Linha 9-Esmeralda da CPTM, na zona sul de São Paulo.

As imagens foram registradas no último fim de semana e trazem um ambulante deficiente, que não tem uma das pernas, sendo abordado de forma agressiva por três seguranças da CPTM.

O homem é colocado à força no chão por um dos agentes.

Enquanto isso, os outros dois funcionários puxam as muletas que auxiliavam o rapaz.

O ambulante tenta levantar, mas é impedido pelos três homens.

Em um trecho do vídeo, um dos agentes da CPTM tenta imobilizar o vendedor, que não demonstra resistência.

O vídeo só acaba porque outra funcionária da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos aborda a passageira que registrava o vídeo e impede que a gravação seja feita.

Em nota, a CPTM afirma que, por volta de 18h do último sábado, a equipe de segurança da Estação Granja Julieta, na Linha 9-Esmeralda CPTM, abordou uma pessoa por fazer comércio irregular nas dependências da estação.  

Após a abordagem, a mercadoria foi apreendida e o vendedor foi retirado do sistema.

A companhia informa que comércio ambulante não é permitido nos trens e estações da CPTM e que a atuação da Companhia está respaldada por um decreto federal que regulamenta o transporte ferroviário.

O órgão ainda diz que o combate ao comércio ilegal nas dependências da companhia se dá por fiscalização aos vendedores irregulares flagrados, que estão sujeitos à retirada do sistema e à apreensão da mercadoria que estava sendo comercializada.