Notícias

Concessionárias alertam para aumento do abandono de animais em vias expressas

A Via Rio, responsável pela Transolímpica, afirma que resgatou 55 animais só em 2022

Priscila Xavier 13/05/2022 • 17:32
Número de animais encontrados tem sido alto
Número de animais encontrados tem sido alto
Fábio Pozzebom/Agência Brasil

Concessionárias que administram vias expressas no Rio alertam para o aumento de casos de abandono de animais nas pistas. Na Transolímpica, que corta a Zona Oeste da Cidade, a Via Rio, empresa responsável pelo local, afirma que desde 2021, foram realizados 305 atendimentos. Desse total, só neste ano, 55 animais foram resgatados pela companhia. 17 deles foram encaminhados para abrigos públicos, 20 foram adotados, um não resistiu e outro foi devolvido ao tutor.

No entanto, 16 cachorros ainda permanecem sob os cuidados da concessionária, que precisa arcar com as despesas de hospedagem dos bichinhos. Mensalmente, esse valor chega a R$ 87 mil. Desde o ano passado, já foram gastos R$ 320 mil.

Gerente de sustentabilidade da Via Rio, Izabel Loureiro, explica como ocorre o acolhimento aos animais, assim que são resgatados pelos agentes.

Casos de abandono também foram registrados na Linha Amarela, via administrada pela concessionária Lamsa, que liga as Zonas Norte e Oeste do Rio. Houve também registros nas estações do Metrô Rio e da Supervia, que administra os trens urbanos.

De acordo com a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa dos Animais, nos últimos dois anos houve uma queda drástica no número de adoções, que passou de cerca de 700 por ano para uma média de 350. A pasta atribuiu a redução à pandemia de Covid-19 e disse que realiza, constantemente, feiras e campanhas de conscientização para incentivar a adoção dos animais.

Na última quarta-feira (11), uma audiência pública foi realizada para discutir a manutenção da Suípa, sociedade protetora de animais do Rio, que sofre com a ameaça de encerrar as atividades por causa das dívidas acumuladas.

Segundo o presidente da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da OAB, Reynaldo Velloso, o fechamento do local pode provocar muitos transtornos na cidade.

A Suípa tem 80 anos de história e abriga mais de 2.200 animais. Atualmente, a instituição tem uma dívida de R$ 100 milhões junto ao Governo Federal, além de débitos previdenciários, fiscais e trabalhistas que ultrapassam os R$ 30 milhões.