Notícias

Homem apontado como fundador da principal milícia do Rio é preso pela Polícia

As investigações mostram que Jerominho seria responsável por extorsões sofridas por motoristas de van em Campo Grande, na Zona Oeste

Pedro Dobal 28/01/2022 • 11:21
Jerominho negou as acusações e questionou a condenação contra ele
Jerominho negou as acusações e questionou a condenação contra ele
Imagens cedidas

O ex-vereador Jeronimo Guimarães Filho, conhecido como Jerominho, é preso durante uma operação da Polícia Civil. Ele é apontado como fundador da principal milícia do Rio de Janeiro, a Liga da Justiça.

Segundo a Polícia Civil, o grupo atua na Zona Oeste da cidade e é acusado de homicídios, extorsões e comércio irregular de água e gás.

Jerominho e o irmão, Natalino Guimarães, chegaram a ficar presos entre 2007 e 2018, quando cumpriram pena por outros crimes. Dessa vez, o ex-vereador foi condenado a sete anos no regime semiaberto.

As investigações mostram que ele era o chefe da facção criminosa e seria responsável por extorsões sofridas por motoristas de van em Campo Grande, na Zona Oeste.

O delegado Mauro César da Silva Junior explica que o crime aconteceu em 2005, mas ele foi condenado de maneira definitiva apenas neste ano.

Ele foi condenado a mais sete anos de prisão pelo crime de extorsão, tendo sido acusado de extorquir, junto com outros criminosos da localidade, motoristas de vans, exigindo pagamentos de valores para que eles pudessem trabalhar

Ao chegar à Cidade da Polícia, na Zona Norte do Rio, Jerominho negou as acusações e questionou a condenação contra ele.

Tem algum erro aí. Por que não me prenderam antes? Fui condenado por um crime inexistente

Neste mês, a filha de Jerominho, Helen Patrícia Guimarães, chegou a ser nomeada para um cargo de confiança no Governo do Estado, mas a medida foi revogada. Ela tinha sido escolhida para uma função na Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento.