Notícias

IPCA-15 fica em 0,58% em janeiro com queda na gasolina e alta nos alimentos

O acumulado dos últimos 12 meses continua na casa dos dois dígitos

Gabriela Morgado 26/01/2022 • 13:28 - Atualizado em 26/01/2022 • 16:28
Preços da gasolina tiveram queda de 1,78% em janeiro
Preços da gasolina tiveram queda de 1,78% em janeiro
Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15, prévia da inflação, fica em 0,58% em janeiro, índice maior do que a previsão, que era de 0,45%. O resultado foi divulgado nesta quarta-feira (26), pelo IBGE.

Apesar disso, a taxa sofreu a terceira queda consecutiva e é 0,2 ponto porcentual abaixo da taxa registrada em dezembro e em janeiro do ano passado, com 0,78%. O acumulado dos últimos 12 meses continua na casa dos dois dígitos, em 10,2%.

Segundo a colunista de Economia da BandNews FM, Juliana Rosa, a inflação no início do ano sofreu impacto das secas em algumas regiões do país e do avanço da variante ômicron do coronavírus, que afetaram a cadeia produtiva. O número também sofreu influência da previsão de aumento no preço internacional do petróleo. Ela afirma ainda que a política econômica interna brasileira dificulta o controle da inflação.

Entre os grupos de produtos pesquisados, apenas o setor de transportes apresentou queda em janeiro. Os preços recuaram 0,41%. A queda foi puxada, principalmente, pela diminuição nos preços da gasolina (-1,78%) e das passagens aéreas (-18,21%).

Já o maior impacto no índice veio do setor de alimentação e bebidas. O maior aumento de preços entre dezembro e janeiro foi em vestuário e artigos de residência. A vendedora Elisângela dos Santos trabalha em uma loja de roupas. Ela afirma que o preço do produto até teve aumento, mas que os valores que mais preocupam são os dos alimentos.

Todas as áreas do país tiveram alta dos preços. A maior inflação foi registrada em Salvador, na Bahia: (1,08%). Já o menor resultado foi em Brasília (0,19%).