Notícias

Justiça mantém prisão de mulher suspeita de envenenar enteados

Cíntia Mariano Dias Cabral, de 49 anos, está presa desde a última sexta-feira (20) e passou por audiência de custódia neste domingo (22)

Yasmin Bachour 22/05/2022 • 22:32 - Atualizado em 23/05/2022 • 14:14
Cíntia teria colocado chumbinho na comida dos dois enteados
Cíntia teria colocado chumbinho na comida dos dois enteados
Reprodução/Redes sociais

A Justiça do Rio mantém a prisão temporária de Cíntia Mariano Dias Cabral, de 49 anos, acusada de tentar matar Bruno Carvalho Cabral, de 16 anos, e suspeita da morte da irmã dele, Fernanda Carvalho Cabral, de 22.

A mulher, que está presa desde a última sexta-feira (20), passou por audiência de custódia na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio, neste domingo (22). Ela teria colocado chumbinho na comida dos dois enteados, em um intervalo de dois meses. Fernanda morreu em março, depois de ficar treze dias internada em uma Unidade de Terapia Intensiva. Já o irmão conseguiu escapar e contou que passou mal depois de almoçar na casa da madrasta e comer feijão amargo e com pedrinhas azuis.

A mãe das vítimas, Jane Carvalho, disse que, ao perceber os sintomas de Bruno, foi torturante pensar em perder outro filho em tão pouco tempo.

A defesa da investigada considerou a prisão precipitada e desnecessária, uma vez que ela compareceu espontaneamente três vezes na delegacia para prestar esclarecimentos. Os advogados afirmam que a cliente se declara inocente.

As investigações seguem em andamento, mas, segundo a Polícia, a motivação para o crime seria ciúmes do marido com os filhos. O delegado responsável pelo caso também apura o possível envolvimento de Cíntia nas mortes do ex-marido e de uma vizinha. Na casa dela, os agentes encontraram durante busca e apreensão veneno para pulgas. Na delegacia, ela preferiu ficar em silêncio.