Notícias

Prefeitura de Petrópolis está contratando empresa para obra no Túnel Extravasor

O projeto de recuperação total da galeria prevê um gasto aproximado de R$ 400 milhões

Carlos Briggs 04/07/2022 • 13:22 - Atualizado em 04/07/2022 • 13:28
Túnel Extravasor, em Petrópolis, aguarda por obras de reparos
Túnel Extravasor, em Petrópolis, aguarda por obras de reparos
Divulgação/Prefeitura de Petrópolis

Após prometer por duas vezes começar as obras emergenciais no Túnel Extravasor, em Petrópolis, agora, a Secretaria Estadual de Infraestrutura diz que está contratando a empresa responsável pelo serviço no Túnel Extravasor.

No local, vivem pessoas que temem uma nova tragédia, como o aposentado Vilson Rodigues, de 64 anos. O filho dele, Felipe Rodrigues, conta que o pai deixou o bairro Vila Felipe, depois que a casa ficou em risco, mas nunca imaginou que uma cratera iria abrir perto do novo lugar que ele escolheu para morar, por onde passa Túnel Extravasor.

Há cerca de três meses, dois homens caíram em uma enorme cratera que se abriu na garagem de uma casa interditada após o temporal na cidade. Entre as vítimas estava o presidente da associação de moradores. Hélio Fráguas teve ferimentos mais graves, já que fraturou a tíbia e com isso teve os movimentos de uma das pernas comprometidos.

O projeto de recuperação total da galeria prevê um gasto aproximado de R$ 400 milhões. A intervenção é de responsabilidade do Instituto Estadual do Ambiente e inclui a macrodrenagem da cidade. As obras, orçadas inicialmente em R$ 40 milhões, devem custar, na verdade, R$ 70 milhões. Nada saiu do papel até agora.

Há 27 anos, no dia primeiro de fevereiro de 1995, uma galeria lateral do Túnel Extravasor na altura do número 948, rompeu e causou a destruição de oito casas, seis carros e deixou ainda um rastro de distribuição. Alguns imóveis chegaram a ter um metro e oitenta de altura de água.

Enquanto a recuperação não é feita, os moradores cobram que, pelo menos, as obras emergências tenham início. Hélio Fraguas, que também é vice-presidente da Associação de Moradores do Túnel Extravasor, questiona a demora, cinco meses após o temporal que deixou mais de 230 mortos.

A Secretaria Estadual de Infraestrutura afirma que por se tratar de uma obra complexa, há um cuidado maior na análise da documentação das empresas que se interessaram no serviço.

Desde então, Prefeitura de Petrópolis apresenta projetos de recuperação do local. Entre as soluções apresentadas, está e a construção de um novo túnel na Rua Treze de Maio, orçadas inicialmente em R$ 115 milhões. Desse total, R$ 45 milhões seriam destinados somente para recuperação do Túnel Extravasor. O projeto, que iria diminuir o excesso de água, mas não foi adiante. A verba foi destinada cinco vezes à Prefeitura de Petrópolis, mas retornou sempre para o Ministério da Cidades, justamente por falta de projeto.

Já a Secretaria Estadual de Infraestrutura informou que a obra no Túnel Extravasor está em processo de contratação da empresa. A nota informa ainda que por se tratar de uma obra complexa, há um cuidado ainda maior na análise da documentação das empresas que se interessaram.