Notícias

Vacinação infantil contra Covid-19 no Rio retorna na próxima quarta-feira

Com chegada de remessas da CoronaVac e Pfizer, Prefeitura pretende seguir ritmo acelerado

Andrezza Buzzani 21/01/2022 • 21:19 - Atualizado em 21/01/2022 • 23:02
A expectativa é seguir com a programação em ritmo acelerado
A expectativa é seguir com a programação em ritmo acelerado
Bogdankosanovic/Pixabay

A Prefeitura do Rio deve retomar o calendário de vacinação infantil na próxima quarta-feira (26).

A expectativa é seguir com a programação em ritmo acelerado e vacinar as meninas e meninos de dez anos nesse mesmo dia. 

Na segunda-feira (24), cidade do Rio deve receber cerca de 123 mil doses da CoronaVac e da Pfizer. Serão entregues cerca de 90 mil vacinas da Coronavac e 33 mil da Pfizer. 

Segundo o secretário municipal de Saúde, essa quantidade é suficiente para vacinar o público de dez anos, cerca de 80 mil crianças. 

Com a previsão de chegada de mais remessas ao longo da próxima semana, a prefeitura espera voltar ao esquema do calendário antigo no dia 31 de janeiro, com a imunização das meninas de sete anos.

O secretário também destacou que é possível que haja, ainda, uma repescagem diária para acelerar o cronograma.

Com a liberação do uso da CoronaVac para vacinar o público de seis a 17 anos, as crianças de cinco anos vão receber somente o imunizante da Pfizer. Segundo Daniel Soranz, os pais de crianças com as demais idades poderão escolher a vacina, de acordo com a disponibilidade no postos. 

A Capital Fluminense chegou a atingir 871 internações por Covid-19 na rede pública de saúde. Na manhã desta sexta-feira (21), eram 857 hospitalizações. O número vem crescendo expressivamente desde o início do ano, quando 23 pacientes estavam internados.

Somente em relação ao início desta semana, o aumento é de mais de 70%. A Secretaria Municipal de Saúde informou que cerca de 88% dos pacientes internados nas unidades da rede não se vacinaram ou estão com o esquema vacinal incompleto. Desses, 51% não tomaram nenhuma dose da vacina contra a Covid-19.

Segundo a pasta, cerca de 650 mil pessoas já poderiam de tomado a dose de reforço na capital.  

Para atender a demanda de internados, a prefeitura converteu 300 leitos para Covid-19 no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla. Segundo o secretário, o Ministério da Saúde deve abrir, nos próximos dias, outros 250 no Hospital Federal de Bonsucesso e 150 no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho. 

O número de casos confirmados de Covid-19 na cidade voltou a atingir um novo recorde nesta quinta-feira (20), chegando a mais de 17 mil ocorrências em 24 horas. A testagem também cresceu mais de 48 vezes em relação ao ano passado, chegando a cerca de 105 mil exames diários.