Economia

Auxílio Brasil: filas em agências são por causa de dúvidas, e não por pagamentos, diz Caixa

Pedro Guimarães relembrou que informações sobre critérios estão disponíveis pelo telefone 111 ou no aplicativo do próprio programa

Da redação, com Rádio Bandeirantes 17/11/2021 • 09:47 - Atualizado em 26/11/2021 • 00:28

Quem tem dúvidas sobre o pagamento do Auxílio Brasil não deve ir a uma agência da Caixa ou a uma casa lotérica em busca de informações. O programa que substitui o Bolsa Família começou a ser pago nesta quarta-feira (17) pelo governo federal, com um valor médio de R$ 217,18 para 14,5 milhões de famílias.

Em entrevista ao Jornal Gente, da Rádio Bandeirantes, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, explicou, que neste momento, só vai receber quem já estava regularizado e sendo pago via Bolsa Família. Ele ainda disse que as filas vistas em várias cidades brasileiras são de pessoas que recebiam o Auxílio Emergencial em busca de informações sobre a inclusão no novo benefício.

“Do ponto de vista do pagamento do Auxílio Brasil, não há nenhum tipo de problema. Na verdade, nós fazemos isso há muitos anos e temos, inclusive, pagamento via digital. 80% das pessoas que estão indo nas agências são pessoas não para receber o Auxílio Brasil, mas com dúvidas se vão receber ou não, dado que não eram beneficiários do Bolsa Família”, destacou Guimarães, que lembrou que a base de beneficiados é bem menor em relação ao Auxílio Emergencial, quando o banco chegou a fazer pagamentos para 90 milhões de pessoas.

O presidente do banco estatal destacou que pessoas que querem saber se estão dentro dos critérios para requisitar o benefício devem ligar para o telefone 111, da Caixa, o número 121, do Ministério da Cidadania, ou buscar informações pelo aplicativo do próprio programa. Para beneficiários que já recebiam o Bolsa Família a inclusão é automática e, segundo Pedro Guimarães, o pagamento vai seguir o mesmo calendário: os dez últimos dias úteis do mês, com base no dígito final do Número de Inscrição Social (NIS).

Guimarães pontuou que a Caixa não determina os critérios de quem será beneficiado, apenas opera os pagamentos, e vê as filas como esperadas, dadas as dúvidas trazidas pelas mudanças dos programas de distribuição de renda.

O beneficiário poderá consultar informações sobre as datas de pagamento, o valor do benefício e a composição das parcelas em dois aplicativos: o novo aplicativo Auxílio Brasil, desenvolvido para o programa social e o aplicativo Caixa Tem, usado para acompanhar as contas poupança digitais do banco.

Podem receber o Auxílio Brasil as famílias com renda per capita de até R$ 100, consideradas em situação de extrema pobreza, e aquelas com renda per capita de até R$ 200, consideradas em condição de pobreza. A parcela de novembro começa a ser paga nesta quarta aos beneficiários de NIS com final 1 e terminará no dia 30 para os beneficiários de NIS com final 0

A Caixa Econômica Federal divulgou o calendário de pagamento do Auxílio Brasil para novembro e dezembro. Veja abaixo:

Veja o calendário do Auxílio Brasil de novembro:

  • NIS 1: 17/nov
  • NIS 2: 18/nov
  • NIS 3: 19/nov
  • NIS 4: 22/nov
  • NIS 5: 23/nov
  • NIS 6: 24/nov
  • NIS 7: 25/nov
  • NIS 8: 26/nov
  • NIS 9: 29/nov
  • NIS 0: 30/nov

Veja o calendário do Auxílio Brasil de dezembro:

  • NIS 1: 10/dez
  • NIS 2: 13/dez
  • NIS 3: 14/dez
  • NIS 4: 15/dez
  • NIS 5: 16/dez
  • NIS 6: 17/dez
  • NIS 7: 20/dez
  • NIS 8: 21/dez
  • NIS 9: 22/dez
  • NIS 0: 23/dez

 

Como consultar o Auxílio Brasil?

Os beneficiários do Auxílio Brasil podem consultar a disponibilidade do benefício e o valor das parcelas pelo aplicativo Caixa Tem, utilizado para movimentação da conta poupança digital da Caixa.

Criado ano passado para o pagamento do auxílio emergencial durante a pandemia de covid-19 e estendido a outros programas sociais, o aplicativo ganhou a nova função com o início da operacionalização do Auxílio Brasil, que começa amanhã (17).

Pelo Caixa Tem, é possível pagar boletos e contas, como água e telefone; fazer compras pela internet e pelas maquininhas em diversos estabelecimentos comerciais, com o cartão de débito virtual e QR Code; transferir recursos para outras contas; e sacar valores em espécie nas casas lotéricas, sem o uso de cartão.

A Caixa ainda disponibiliza aos beneficiários do programa o aplicativo próprio do Auxílio Brasil, onde também é possível consultar o benefício e as parcelas, o calendário de pagamento e informações sobre o programa. Segundo Guimarães, para quem possui o aplicativo do Bolsa Família, ele será atualizado automaticamente para o do Auxílio Brasil.

Em caso de dúvidas, a central telefônica 111 da Caixa funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h. Além disso, o beneficiário pode consultar o site caixa.gov.br/auxiliobrasil.

A partir de 23 de novembro, as agências da Caixa também retomam os horários de atendimento pré-pandemia de covid-19, entre 10h e 16h, pelo horário de Brasília. A depender do fuso da localidade, os horários podem variar. Até lá, as agências funcionam das 8h às 13h, pelo fuso oficial de Brasília.

Mesmo modelo de pagamento do Bolsa Família

As datas de pagamento do Auxílio Brasil seguirão o modelo do Bolsa Família, que pagava os beneficiários nos dez últimos dias úteis do mês, com base no dígito final do Número de Inscrição Social (NIS). O calendário foi divulgado pela Caixa na semana passada e, neste primeiro mês, será de 17 a 30 de novembro.

No mês que vem, em função das festas de fim de ano, o pagamento foi antecipado e acontecerá de 10 a 23 de dezembro.

Vídeo: Quem já recebia o Bolsa Família não precisa se recadastrar

Os cartões e senhas utilizados para saque do Bolsa Família continuarão válidos e poderão ser utilizados para o recebimento do Auxílio Brasil nas agências, lotéricas e correspondentes. 

As famílias que recebem o Bolsa Família pelo aplicativo Caixa Tem, em conta poupança digital, receberão o Auxílio Brasil na mesma modalidade de pagamento e poderão continuar movimentando seu benefício pelo aplicativo.

Principal ferramenta do governo para incluir famílias de baixa renda em programas sociais, o CadÚnico também será usado para garantir o acesso ao Auxílio Brasil. Todos os meses, o Ministério da Cidadania selecionará novos beneficiários para o programa, desde que os dados estejam atualizados.