Economia

“Não tivemos nenhum problema social no Brasil”, diz Bolsonaro sobre pandemia

Bolsonaro discursou em evento sobre mercado global de carbono, ocasião em que defendeu o governo na condução da pandemia

Da redação 19/05/2022 • 14:07 - Atualizado em 19/05/2022 • 14:11
Bolsonaro defende medidas econômicas e sanitárias do governo
Bolsonaro defende medidas econômicas e sanitárias do governo
Alan Santos/Presidência

O presidente Jair Bolsonaro (PL) defendeu ações do governo sobre o andamento da economia na situação de crise mundial, motivada, principalmente, pela pandemia e guerra na Ucrânia. Em discurso durante o Congresso Mercado Global de Carbono, nesta quinta-feira (19), o chefe do Planalto disse que o país não teve nenhum problema social.

“Os mais humildes foram obrigados a ficar em casa [na pandemia], perdendo toda a sua renda. Não tivemos nenhum problema social no Brasil porque nós acolhemos essas pessoas. Estamos voltando à normalidade”, pontuou Bolsonaro. 

Em outo momento do discurso, o presidente disse que a condução da pandemia foi retirada da mesa presidencial, mas sem citar decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que designou a estados e municípios decidirem sobre isolamento social, quarentena, interdição de atividades e serviços essenciais e restrição de locomoção. Na época, o governo federal queria centralizar tais medidas.

“Lamentavelmente, a condução da pandemia foi tirada da minha mesa presidencial. Mas o Brasil fez a sua parte, colaborando com estados e municípios”, disparou Bolsonaro.

Inflação

O presidente aproveitou o momento para mencionar a inflação no Brasil. Em abril, por exemplo, o índice fechou em 1,06%, a maior alta desde 1996 para o mês. No acumulado de 12 meses, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) segue com dois dígitos, 12,13%.

“A inflação é uma questão mundial. Não existe país que não esteja sofrendo com os reflexos da inflação, em especial pela questão da pandemia. Em muitos países, também, já se nota a possibilidade de desabastecimento”, afirmou o presidente.