Economia

Saiba como o encolhimento da economia da China afeta o Brasil

O PIB da China encolheu 2,6% no segundo trimestre, em relação aos três primeiros meses do ano e cresceu 0,4% na comparação com o mesmo período do ano passado

Juliana Rosa 15/07/2022 • 18:47 - Atualizado em 15/07/2022 • 19:07

O PIB da China encolheu 2,6% no segundo trimestre, em relação aos três primeiros meses do ano e cresceu 0,4% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Essa notícia é muito ruim aqui para o Brasil, porque se a China cresce menos, consome menos da gente. A China é o país que mais compra matérias primas brasileiras, minério de ferro e alimentos. 

E por que a China está crescendo menos? Agora no segundo trimestre o resultado está muito ligado às restrições adotadas no país para conter novos casos de covid. Isso afetou a produção da indústria, as vendas do comércio. As restrições atrapalham também do ponto de vista da inflação porque as entregas de produtos industriais estão demorando, estão faltando peças e isso tem gerado alta de preços.

Para os próximos meses, a expectativa é de recuperação da economia chinesa, mas depois desses dados ruins do segundo trimestre, ficou difícil o gigante asiático cumprir a meta de crescimento de 5,5%.

O banco americano Goldman Sachs revisou para baixo a previsão de crescimento da China este ano para 3,3%. Ou seja, o mundo não vai nos ajudar, com crescimento menor e risco de recessão na Europa e nos Estados Unidos.

No Brasil, a PEC dos Benefícios e a redução de impostos de combustíveis e energia elétrica devem sustentar o crescimento do nosso PIB no segundo trimestre, mas para o quarto trimestre se prevê queda, com um ambiente eleitoral que pode gerar ainda mais turbulências.