Eleições

Moro exibe contrato com consultoria e nega conflito de interesse

Ex-juiz disse que ganhou US$ 45 mil por mês para ensinar clientes de companhia a evitar processos judiciais, a chamada compliance

Caiã Messina 28/01/2022 • 20:10 - Atualizado em 29/01/2022 • 13:06

Sergio Moro mostrou contrato e notas fiscais e negou conflito de interesse. O tribunal de Contas investiga se o ex-juiz recebeu dinheiro de alvos da Lava Jato na consultoria em que trabalhou depois de deixar o Ministério da Justiça. 

Moro garante que ganhou US$ 45 mil por mês para ensinar clientes da companhia a evitar processos judiciais, a chamada compliance.

“Já que estou abrindo as contas, e o Lula poderia esclarecer quanto que recebeu de palestras, reforma do sitio da Odebrecht, triplex. Vamos ver se o Bolsonaro abre as contas das rachadinhas, do gabinete parlamentar, dos cheques”, disse Moro.

Sergio Moro é o convidado do Canal Livre deste domingo (30). Ele falará sobre sua pré-candidatura ao Planalto, a atuação como juiz e também como ministro da Justiça e Segurança Pública.  O programa vai ao ar às 20h no BandNews TV e às 23h na Band.

Lula comemorou o arquivamento do processo do triplex, conduzido por Moro na Lava Jato. O petista foi condenado em 2017 a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, acusado de ter recebido o apartamento no Guarujá como propina de empreiteiras. Ele ficou 580 dias preso numa cela da Polícia Federal em Curitiba. 

No ano passado o Supremo considerou "suspeita" a atuação de Moro no caso e anulou a sentença. Agora a 12ª Vara de Brasília engavetou o processo por prescrição, já que Lula tem mais de 70 anos e, não haveria tempo para recomeçar todas as etapas.

O ex-presidente chamou Moro de "messiânico", e o acusou de fazer "tramóia" para tirá-lo do páreo na última eleição.

“Foi uma coisa planejada. Era preciso tirar o Lula da disputa presidencial porque se tiver eleição para presidente, o Lula vai ganhar. Ou seja, quem era herói está virando bandido, e quem era bandido está virando herói”, afirmou.

O círculo político aqui do Planalto considera que as vitórias de Lula na Justiça por questões processuais não mudam a rota da campanha de Jair Bolsonaro. O presidente vai seguir se apresentando como antagonista do PT e da corrupção.

O presidente viaja semana que vem ao Nordeste para inaugurar a última etapa da transposição do São Francisco.  E provocou o petista.

Lá atrás, quem começou a fazer foi Dom Pedro na verdade. E tinha um cara de nove dedos aí que falou que iria acabar até 2012. Não acabou. Ele fez transposição de dinheiro, da União para o bolso dos amigos dele.