1001 Perguntas

Após 8 vitórias, dupla deixa 1001 Perguntas, mas leva R$ 160 mil para casa

Apesar da eliminação, Kauê e Vivi faturaram R$ 160 mil, mas queriam ter continuado no programa; eles perderem a disputa para Priscila e Acácio

Gisele Alquas 30/07/2022 • 09:40 - Atualizado em 30/07/2022 • 13:40
Kauê e Vivi participam do "1001 Perguntas"
Kauê e Vivi participam do "1001 Perguntas"
Reprodução/Band

Os professores Kauê da Costa Oliveira e Viviane Comunale vinham de oito vitórias consecutivas no “1001 Perguntas” e contavam com grande torcida do público, mas foram eliminados na final desta sexta-feira (28), após perderem a disputa para Priscila e Acácio. Mesmo derrotados, os amigos deixaram a atração com a bolada de R$ 160 mil. 

Durante as disputas, a dupla foi imbatível. A meta de Vivi e Kauê era deixar a competição com pelo menos R$ 100 mil. Apesar de faturarem mais, eles queriam ter continuado no game show. “Eu e Kauê ficamos chateados de sair e abalados, tentando entender as nossas falhas. Achávamos que iríamos ficar ‘para sempre’. Queríamos o crachá [de funcionários] da Band”, brincou a professora de História em entrevista ao Band.com.br. 

A dupla não conseguiu responder qual era o nome dado pelos pais ao Superman, cuja resposta certa é Kal-El. “Eu sabia o nome, sou geek, mas não consegui proferir as palavras na hora olhando para aquele relógio na minha frente. Chegamos tão perto, mas não deu! a Priscilla e o Acácio foram excelentes competidores. Também pesou bastante o cansaço, me desconcentrei na resolução da resposta e fiquei perdida”, disse ela.

Apesar da frustração em deixar a competição, Vivi afirma que participar do “1001 Perguntas” foi incrível por tudo o que viveram no programa. “É muito bom poder contar o que passamos lá. Eu e Kauê sempre gostamos e participamos de games. E quando surgiu a oportunidade, na hora pensei em chamá-lo pela dinâmica, adrenalina, e poder colocar nossos conhecimentos que aprendemos ao longo da vida em jogo, mostrando o quanto é importante ser curioso", ressaltou a professora, que ficou feliz com a torcida que conquistaram:

“Recebemos muitas mensagens no Instagram de pessoas torcendo pela gente. Nossa participação também foi importante para valorizar a classe dos professores, mostrar que o professor tem valor,, que a educação tem valor. Foi muito bacana ver todo esse carinho que recebemos”.


Conhecer Zeca Camargo foi realização de sonho

Vivi e Kauê, que é professor de Biologia, são amigos de longa data, o que facilitou a sintonia na competição. Os dois trabalharam jutos em uma escola. “Começamos a perceber que tínhamos os mesmos gostos para músicas e, de repente, virou tremenda amizade. Sempre gostamos de jogos estudantis e acadêmicos. Para participar do ‘1001 Perguntas’ precisava ter bagagem para responder. Entã,o nos preparamos muito”, contou Vivi.

Ficar de frente com Zeca Camargo foi a realização de um sonho para ela, já que a professora de História é fã do apresentador desde a época em que ele trabalhava na MTV. “O Zeca sempre foi muito culto, viajou o mundo. Ele é demais. Fiquei muito nervosa de ver um ídolo de perto, fiquei até com medo de falar uma bobagem. O programa é a cara dele e da Carla [Bigatto]. A presença dos dois é uma boa temática para que tudo funcione”, enfatizou Vivi. 

Vivi passou por um sufoco durante a permanência da dupla no “1001 Perguntas”. Antes de gravar um dos programas, ela descobriu que estava com Covid. “Não estava sentindo sintomas nenhum. Mas fiz o teste assim que cheguei na Band e deu positivo. Foi um choque. Uma das preocupações era: quem iriamos chamar para me substituir? E, Graças a Deus, a Karina [amiga de Kauê] me representou muito bem”, relembrou ela, que após se recuperar da doença, voltou a participar da dinâmica com o parceiro. “Neste período, toda a produção e os demais participantes foram incríveis comigo. Só tenho que agradecer”, enfatiza. Valeu, gente!