Entretenimento

Álvaro José relembra grandes aberturas das Olimpíadas: Barcelona em 1992 foi significativa

Da Redação, com Rádio Bandeirantes 23/08/2020 • 02:00
Danilo Gobatto entrevistou Álvaro José neste final de semana
Danilo Gobatto entrevistou Álvaro José neste final de semana
Divulgação/Rádio Bandeirantes

O locutor esportivo Álvaro José foi entrevistado neste sábado, 20, pelo repórter Danilo Gobatto no programa Antenados, da Rádio Bandeirantes. Durante o bate-papo, o narrador oficial das histórias das Olimpíadas relembrou grandes aberturas das quais já fez parte.

"Das aberturas que presenciei, a mais chocante foi a de 1988 quando os pombos morreram quando acenderam a pira. Os pombos foram lá para cima, tinha comida e aí acenderam. Os sul-coreanos que dirigiram a cerimônia nem imaginaram que aquilo pudesse acontecer", relembrou o narrador do BandSports (ouça a entrevista completa).

Veja mais
"Fiquei três dias sem dormir", conta Arancam sobre apresentação na Itália
Porchat já fez piadas preconceituosas: "Falei coisas que hoje seria preso"
Angélica revela que namorava quando ficou com Luciano Huck pela 1ª vez

"A que foi mais significativa para mim foi Barcelona, em 1992, porque teve uma falha. O pessoal estava empurrando um barco, representando a saída da Grécia e a chegada à Barcelona, a fundação da cidade, só que quebrou uma das rodas. É a mesma coisa que quebrar uma roda de carro alegórico das escolas de samba", contou.

"O Armando Nogueira insistiu que eu fizesse a transmissão de abertura porque eu conhecia todos os atletas e estudei História. Então, a mitologia fazia parte [da abertura]. Eu comecei a contar a história dos grandes navios que singraram o Mediterrâneo, falando de Ulisses voltando da Guerra de Troia para Ítaca; de Jasão indo atrás dos Argonautas; no final eu terminei com Eneias, um grande guerreiro troiano, que saiu de Troia incendiada para a planície de Lácio, na Itália", disse.

"E fundou a cidade de Alba Longa. Os descendentes dele depois fundaram Iulo, que hoje é Roma, a cidade eterna. Isso aí eu contei durante 20 minutos e nada da roda [do barco] andar. O Armando adorou e o Luciano do Valle batia palma. Tive o privilégio de trabalhar ao lado desses dois gênios", finalizou.

  • rádio bandeirantes
  • danilo gobatto
  • álvaro josé
  • aberturas
  • olimpíadas
  • cobertura