Entretenimento

Anitta recebe convite de Rodrigo Pacheco após criticar o Congresso Nacional

Anitta criticou o Congresso Nacional ao falar sobre as políticas ambientais

DA redação

Rodrigo Pacheco procurou Anitta para conversar sobre as críticas feitas pela famosa
Rodrigo Pacheco procurou Anitta para conversar sobre as críticas feitas pela famosa
Reprodução/Redes Sociais

A cantora Anitta voltou a falar nas suas redes sociais sobre o Congresso Nacional após ser procurada pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, para conversar sobre as críticas realizadas pela famosa envolvendo as políticas ambientais. 

“Muita gente está perguntando para mim se isso é verdade [mostrando um print sobre o convite] e é. Depois que fiz um post cobrando uma ação do presidente do Senado e do Arthur Lira, que fiquei sem resposta mesmo e fui bloqueada para sempre. Sim, o Rodrigo Pacheco me procurou e se colocou à disposição para conversar sobre o assunto e eu disse que tenho interesse em encontrá-lo para falar e resolver. Não falar só por falar. Não tenho paciência para debater sobre coisas para debater sobre algo que não vai sair do lugar”, explicou a cantora. 

Na sequência, a famosa continuou afirmando que sempre se posiciona buscando o melhor para o Brasil. “Não sou da política, sou cantora. Mas se fui às redes sociais cobrar algo e ele se colocou à disposição, eu acho importante. Espero que a gente consiga fazer algo, eu entendo que na política, uma pessoa sozinha não consegue salvar o mundo, mas uma pessoa sozinha, com muita coragem, pode conseguir balançar as estruturas. Espero que dê alguma coisa. Me sinto agradecida, respeitada, ouvida”. 

“Agora, se vocês percebem, o assunto está começando a dar uma abaixada e isso não pode acontecer. As pessoas ainda estão sofrendo. Não é porque estava trending no Twitter antes que agora não é mais importante. Lembra do caso de exploração infantil de Marajó? Todos cobraram uma fala dos artistas. Precisa cobrar dos políticos uma ação. É óbvio que como artista sempre me coloco à disposição, mas cobrar, tem que cobrar dos políticos”, finalizou.

Tópicos relacionados

Mais notícias

Carregar mais