Faustão na Band

Energético, café, ansiedade e mais: veja o que pode prejudicar o coração

Fernando Bacal participou do quadro Direto com o Doutor e tirou dúvidas da plateia e de artistas convidados

Da Redação 04/05/2022 • 21:53
O cardiologista participou do quadro Direto com o Doutor
O cardiologista participou do quadro Direto com o Doutor
Reprodução / Faustão Na Band

Fernando Bacal foi o convidado do Direto com o Doutor desta quarta-feira (4). Durante o programa, ele tirou dúvidas de artistas, da equipe e da plateia sobre saúde do coração. Veja a seguir: 

Quais as principais doenças do coração e qual a melhor forma de preveni-las?

Segundo o médico, o ponto mais importante da prevenção é se cuidar. “Ter uma dieta balanceada, fazer atividade física, evitar o cigarro, evitar fumar e ter uma vida saudável”, detalhou. 

As principais doenças que podem acometer o órgão são: infarto, algumas insuficiências cardíacas, a doença de chagas (transmitida pelo inseto barbeiro) e hipertensão arterial. 

“Ela é silenciosa muitas vezes. Porém, o paciente que tem dor de cabeça, dor na nuca, tontura e zumbido no ouvido deve procurar o médico”, afirmou. 

Além disso, o diabetes também pode corroborar com as doenças cardíacas. 

O que faz mal e o que faz bem para o coração? 

Ao longo do programa, o médico listou alguns fatores que podem desencadear problemas no órgão. 

Ansiedade: “Trata-se de uma liberação aumentada de adrenalina. Ela força o coração e faz ele bater mais forte e mais rápido. Se tem muita ansiedade e adrenalina circulando no seu sangue, isso pode te prejudicar. Nos jovens, ok. Mas com o passar dos anos, se a pessoa já tem entupimento das veias ou pressão alta, isso influencia com certeza”, disse. 

Vinho: A galera quis saber se uma taça de vinho por dia pode fazer bem para o coração. “Tem vários estudos que mostram que tomar um pouco de vinho por dia faz bem. A bebida tem o efeito dos flavanoides e do resveratrol, que protegem internamente os vasos pra que não se deposite gordura nas artérias. Mas tudo moderadamente”, alertou. 

Sódio: O sódio, presente em comidas e bebidas, prejudica o coração. “Estudos apontam que nós ingerimos muito mais sódio do que deveríamos. Além de reter líquido, ele dá constrição dos vasos e aumenta a pressão. É um inimigo da pressão alta”, detalhou. 

“Azulzinho”: Outro tópico levantado pela plateia foram os medicamos usados para impotência sexual. “No início ele foi idealizado como um remédio de pressão alta. Depois viram que tinha efeitos colaterais – e virou esse remédio que todo mundo conhece. É seguro para ser usado. Em excesso, no entanto, pode fazer cair a pressão e geral mal-estar”, avisou.  

Energético: Ingerir álcool, energético e café em um curto período de tempo não é uma boa opção. “Mesmo em pessoas saudáveis, isso pode dar arritmia. Ou seja, um descompasso do coração. É preciso moderar mesmo”, enfatizou. 

Cigarro eletrônico: “Dá a impressão de que é menos problemático, porque não tem a queima do alcatrão, que dá o cheiro que o cigarro tem. Mas eles têm nicotina, vaporização e uma mistura de óleos que podem afetar o pulmão. Além disso, gera vício. Então faz tão mal quanto", alertou. 

Remédios para déficit de atenção: João Guilherme recordou que muitas pessoas usam estes medicamentos para melhorar o rendimento no trabalho e na escola – e quis saber se isso tem consequências para a saúde. 

“O medicamento funciona para as pessoas diagnosticadas com déficit de atenção, mas qualquer um que faça uso de remédios de uso continuado, como antidepressivos, deve fazer uma avaliação cardiológica periódica, para ver se não há alterações no funcionamento do coração”, explicou. 

Dormir mal: “O ideal seria que dormíssemos oito horas, mas muitas vezes não conseguimos. Quem tem apneia do sono, no entanto, para de respirar durante a noite – e isso é um fator de risco para doenças cardiológicas. Roncar é ok. Mas parar de respirar é um problema”, disse.