Faustão na Band

L7nnon fala que usa música como crítica social: "É um grito de gerações"

No 'Faustão na Band', rapper falou da carreira e refletiu sobre as letras de suas canções

Da Redação 23/06/2022 • 21:37 - Atualizado em 23/06/2022 • 21:50

Lennon dos Santos Barbosa Frassetti, L7nnon ou L7. Você já deve ter ouvido falar desse rapper que, em apenas quatro anos de carreira, já se consagrou como o mais ouvidos do Brasil. Aos 28 anos, o carioca colocou diversas músicas entre as mais tocadas do mundo nas plataformas de áudio.

Convidado do 'Na Pista do Sucesso', quadro musical do Faustão na Band, o cantor conversou com o apresentador sobre a carreira e como usa das canções para fazer críticas sociais e conscientizar sua geração.

L7 cantou o sucesso 'Freio da Blazer', parceria com Ajaxx, e revelou que quis retratar a realidade que jovens da periferia enfrentam diariamente.

"É uma crítica social do carro da polícia. Essa é a música de quem é parado por policias. É um grito de gerações, as pessoas se identificam, principalmente quem é parado pela blitz e tem que provar que o carro, o dinheiro e a joia é dele, que não tomou de ninguém", disse o rapper.

Nascido em Realengo, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, ele acredita que a música é atemporal e eterniza o sentimento do compositor. Em conversa com Faustão, o cantor citou o sambista Cartola, que só ficou conhecido após a morte.

O rapper também falou sobre 'Gratidão', a música, que é um de seus maiores sucessos, e o sentimento, que afirmou praticar todos os dias: "Gratidão virou uma palavra clichê, e as pessoas não dão o devido valor em ser uma pessoa grata. Eu tento viver dessa forma. É uma palavra muito presente na minha vida", disse.