Faustão na Band

“Nunca quis ter parças no futebol, queria gente que me criticasse”, diz Falcão

Ex-treinador falou sobre o ego dos jogadores da atualidade e sobre como os clubes falham na preparação de base

Da Redação 27/05/2022 • 21:22 - Atualizado em 28/05/2022 • 00:42

Falar de futebol no Brasil é mexer com a emoção de muita gente. No país pentacampeão do mundo, todos têm uma opinião para dar quando o assunto é o esporte. Para quem atua na área, é um campo minado, tamanha a devoção dos envolvidos dentro e fora do campo. 

E o tema foi pauta no Churrascão do Faustão desta sexta-feira (27). Entre os convidados, está Paulo Roberto Falcão, que foi jogador de futebol e treinador, além de comentarista.

Em determinado momento, Anne Lottermann quis saber se os jogadores de futebol da atualidade têm um ego inflado desde muito cedo. 

“Minha história é muito bonita porque eu fui atrás das coisas, isso me deu capacidade de enfrentar dificuldades. Eu acho que um garoto tem que ser preparado nas categorias de base, é a preparação para, de repente, ele sair de uma sexta-feira, onde ninguém sabe quem ele é, para na segunda-feira estar estampado no jornal. Essa ação é muito brusca. A preocupação que os clubes teriam que ter é justamente essa: preparar o atleta”, afirmou Falcão.

O ex-atleta também contou que ao longo de sua vida profissional sempre buscou ter amigos que não dependessem dele. “Eu nunca quis ter parça, eu queria gente do meu lado que me criticasse quando eu fizesse uma coisa errada”, concluiu.