Masterchef

Equipe amarela reproduz receita de Jacquin e chef elogia: "Poderia viajar e deixar vocês no meu lugar"

O time liderado por Kelyn venceu prova do 12º episódio do MasterChef; confira o passo a passo do prato

Amanda Caroline e Stefani Sousa 21/09/2021 • 23:32 - Atualizado em 22/09/2021 • 01:21
Time capitaneado por Kelyn celebra vitória
Time capitaneado por Kelyn celebra vitória
Carlos Reinis/Band

A equipe amarela, comandada por Kelyn e composta por Heitor, José Sergio e Márcio, venceu a primeira prova do MasterChef Brasil desta terça-feira (21). O time reproduziu prato sofisticado do restaurante de Érick Jacquin e ganhou elogios do chef de cozinha. "Poderia viajar e deixar vocês no meu lugar", diz o jurado na avaliação dos participantes.

O grupo preparou o prato que é o carro-chefe do restaurante Président — linguado ao molho de champagne e leite de coco com flor de abobrinha recheada e caviar — e conseguiu chegar perto da criação de Jacquin. "Está muito bem feito, como eu ensinei. O mousse de peixe está bem feito. O grande defeito do prato de vocês é que falta um pouquinho de sal, mas é muito bom mesmo", completa o francês. Clique aqui e confira o passo a passo da receita.

Reprodução da equipe amarela surpreende Jacquin (Foto: Carlos Reinis/Band)


Em entrevista ao Portal da Band, Kelyn comemora a vitória e fala sobre a responsabilidade de transmitir os ensinamentos de Jacquin para os colegas. "Ele fez todos os processos do prato 'no olho' e não me passou as quantidades. Por isso, tive que ficar muito atenta aos detalhes. Mas me impressionei com a minha memória gustativa. Achei impressionante a forma como consegui trazer o sabor. Deu certo", declara a mato-grossense.

Mudança de planos

Ela ainda comenta a relação com os membros da equipe durante a prova; Heitor, José Sergio e Márcio eram os preteridos de Kelyn, mas a dinâmica do jogo obrigou os participantes a trabalharem juntos. 

"Já estava tudo muito organizado na minha cabeça, mas tudo mudou e deleguei o trabalho na hora. Não foi difícil. O José Sergio é um pouco mais genioso; ele grita, fala alto, quer atenção no momento em que ele chama… Mas, no geral, ele me chamava porque queria me ouvir, queria feedback. A equipe demonstrou bastante confiança, o que eu achei bem positivo. Me ouviram bem, não rolou nenhum estresse, nenhuma indisposição", detalha Kelyn.

Para a capitã, o desafio foi segurar as mãos para trás durante toda a prova. Kelyn não pode cozinhar na prova e apenas orientou o time. "No início, foi difícil, mas fui me acostumando com o fato de só mandar. Se pudesse cozinhar, faria tudo ao mesmo tempo como o Jacquin e poderia me dar mal na prova. Por isso, achei positivo", finaliza.

  • masterchef brasil