Masterchef

Fernando, do MasterChef, diz como ganhou emprego de Jacquin: “Fiquei surpreso"

Ele sai da cozinha do programa da Band direto para um dos restaurantes do chef francês. Leia a entrevista com Fernando, último eliminado da 9ª temporada!

Felipe Pinheiro 03/08/2022 • 14:19

Eliminado no último episódio do MasterChef Brasil, Fernando trocou o avental do programa por uma dolma com o nome de Erick Jacquin. O motivo? Como o público assistiu na última terça-feira (2), o cozinheiro amador ganhou uma oportunidade de trabalhar com o chef francês. Assista à entrevista no vídeo acima!

Com exclusividade ao Band.com.br, Fernando, que já começou a dar expediente no Buteco do Jacquin, em São Paulo, disse como se surpreendeu com o convite. 

“Recebi o convite para trabalhar com Jacquin no programa. Acho que conquistei ele com o cupcake de moscow mule. Estou devendo essa receita para todo mundo. Consegui ganhar o paladar dele para doces e recebi o convite para ser confeiteiro nos restaurantes dele”, afirmou.

Será um processo de aprendizagem muito grande. Saio da cozinha do MasterChef direto para  a cozinha do Jacquin. Aprenderei com um dos melhores.


O artesão define como uma honra a chance de se desenvolver como cozinheiro no restaurante do jurado do MasterChef Brasil. Ao longo da participação no programa, Fernando sempre se colocou como confeiteiro e, uma curiosidade, é que ele mesmo não gosta de comer doces. 

“Trabalhar nessa linha de doces com drinks é uma coisa que gosto bastante. Tenho um diferencial para doces. A parte mais curiosa é que não gosto de comer doce. Acho que por isso faço doce bem, pois faço para o meu paladar. Não gosto de coisa enjoativa ou muito doce”, explicou. 

Reveja a eliminação de Fernando do MasterChef
 



Repressão e cabelo colorido


Fernando fazia curso de figurinista antes de entrar no MasterChef. Ele também é artesão de acessórios fetichistas em couro, como chicotes e máscaras. Sem tabus para falar de sexo, Fernando, que nasceu em Mogi das Cruzes, interior de São Paulo, se lembra como já se sentiu reprimido. 

“Como homem gay, não tem como falar que não sofri repressão. Outro dia li um post falando que os homens gays são bem sucedidos depois dos 40 anos porque eles passam 30 anos da vida tentando se entender dentro da sociedade. Posso falar que não existe um caminho sem repressão dentro da nossa sociedade”, afirmou. 

Durante a atual temporada, Fernando aparecia a cada episódio com um cabelo de uma cor – o que se tornou uma marca do participante na atual temporada. Ele disse que foi julgado até mesmo por isso.

“Teve gente que falou, como essa pessoa quer ser cozinheira? Posso ser o que eu quiser. Não é você que vai me limitar. Ninguém pode colocar cabresto no outro e definir o que ele vai fazer da vida. Já recebi comentários que falavam, como a pessoa quer cozinhar com o cabelo colorido? Eu cozinho com o cabelo ou com a mão?”, declarou.

Prazer, Presto!


 


O cozinheiro, que trabalhava nas noites de São Paulo usando uma máscara de cachorro – e encarnava uma outra persona, chamada Presto –, pretende conciliar o atual emprego com Jacquin no trabalho como artesão. Recentemente, ele se apresentou como Presto no Instagram e recebeu muitos comentários.

“Eu queria ver a repercussão do público do MasterChef com a máscara. Teve bastante curtida e um monte de gente comentou. É quebrar os tabus! E me surpreendeu de forma positiva porque eu estava preocupado com a repercussão. Temos medo de sofrer ataques, né?”, considerou. 

Perrengue na hora H


Bem-humorado, Fernando compartilha uma situação inusitada que viveu durante uma relação sexual. Embora o momento tenha sido constrangedor, ele se diverte ao relembrar a cena:

“A pessoa que me perdoe porque uma vez eu estava com um cara, fui segurar no cabelo dele e arranquei toda a prótese de cabelo do homem! Fiquei super sem graça. Puxei o tufo de cabelo na minha mão!”, conta.