Entretenimento

Fogaça rechaça fama de durão e declara: “Gosto dos destemidos, e não arrogantes"

Chef reflete sobre o seu comportamento como jurado da competição gastronômica, que estreia nesta terça-feira (17) após o Faustão na Band.

Da redação 17/05/2022 • 10:50 - Atualizado em 17/05/2022 • 17:23
Henrique Fogaça prova prato de participante na nona temporada do MasterChef.
Henrique Fogaça prova prato de participante na nona temporada do MasterChef.
Melissa Haidar/Band

Henrique Fogaça não se vê como um chef linha-dura. Ele prefere o termo verdadeiro, mas reconhece que a cada temporada cobra mais dos participantes. À espera pela estreia da nona edição do MasterChef Brasil, nesta terça-feira (17), Fogaça fez uma reflexão sobre como se vê enquanto jurado do talent show da Band e o que um participante precisa ter para chamar a sua atenção.  

“Eu não sou durão! Sou bonzinho... verdadeiro nas minhas avaliações. Podem esperar o mesmo Fogaça, mas com a régua um pouquinho mais alta porque cada ano que passa nós precisamos evoluir e melhorar, e no caso do programa, cobrar um pouco mais, pois muitas pessoas que entram no MasterChef mudam de vida, assim como a minha mudou através da gastronomia”, afirmou.

MasterChef estreia hoje (17) às 22h30 na Band TV com transmissão simultânea no site e BandPlay

Por isso, é muito importante que a pessoa que ganhar, que chegar até a semifinal ou até a metade do programa, faça por merecer.

Será que existe algum perfil de participante que chama mais a atenção do chef? Depois de oito temporadas da versão com amadores, ele avalia:

Gosto das pessoas que são mais destemidas e não são arrogantes. Às vezes, tem gente que se acha demais e tem uma certa arrogância. Não é assim! O participante precisa ser firme, porém, mantendo o pé no chão para poder crescer.  


Assista à nova abertura do MasterChef:
 


Vem aí a prova da farinha


Henrique Fogaça adianta que neste ano dará uma aula aos participantes sobre farinhas e farofas. “O público e os participantes irão conhecer os diversos tipos que temos no Brasil e que as pessoas não têm acesso ou nem sabem que existem. É a prova da farinha e da farofa”, conta.  

Para se dar bem na competição, o conselho de Fogaça é atenção e que todos deem o melhor que podem.

“A minha dica é que o participante preste muita atenção nas provas, nas nossas críticas construtivas, além de estudar bastante antes de começar o programa e dar o melhor de si. É preciso cozinhar com o coração e com amor porque só assim não existirá fronteiras para chegar à final”, acredita.