Entretenimento

O que pode acontecer a Bruno de Luca por não ter socorrido Kayky Brito?

Apresentador assistiu ao acidente, não ajudou o amigo e essa atitude chamou atenção

Da Redação

Bruno de Luca diz a polícia civil que soube do atropelamento no dia seguinte
Bruno de Luca diz a polícia civil que soube do atropelamento no dia seguinte
Reprodução/Redes Sociais
Topo

O ator Kayky Brito, atropelado na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro, passou por uma cirurgia para fixação de fratura da pelve e do braço direito e permanece sedado. Enquanto isso, imagens mostram que o apresentador e amigo do ator, Bruno de Luca, não só viu o acidente, como também não prestou socorro após atropelamento. 

A atitude chamou atenção, porque em nenhum momento, De Luca auxiliou o amigo. O estado de saúde do ator continua grave. Apesar disso, a Polícia Civil do Rio não indiciará o apresentador por omissão de socorro.

O que aconteceu? 

Em imagens registradas, é possível ver que Bruno assistiu ao atropelamento do amigo e, após se desesperar, colocando a mão na cabeça, ele retornou ao quiosque onde os dois estavam.

Outro ângulo do circuito do quiosque mostra o apresentador indo até a parte de trás do estabelecimento para falar com funcionários, depois do acidente. De Luca não aguarda a chegada do socorro e teria deixado o local pouco tempo depois.

Segundo os investigadores, ele não responderá por omissão de socorro, pois a vítima foi levada pelo hospital após acionamento da ambulância. 

O apresentador prestou depoimento na Delegacia da Barra da Tijuca. De Luca disse aos policiais que só soube no dia seguinte que a pessoa atropelada na orla era o seu amigo. Ele explicou que os dois se despediram e ele foi pagar a conta. O apresentador viu o acidente, mas alega não ter reconhecido Kayky. Ele conta que não lembra como voltou pra casa. 

"Estou traumatizado. Pior coisa que aconteceu na minha vida. Continuo muito assustado. O Kayky é meu melhor amigo, a gente estava escrevendo uma peça juntos.  Espero tomar conta da minha cabeça e seguir em frente”, disse Bruno.

Bruno de Luca poderia ser preso? 

Não. Isso porque, é considerado crime não prestar socorro a uma pessoa ferida quando é possível fazê-lo sem risco pessoal. No entanto, no caso envolvendo os famosos, já havia outras pessoas ajudando Kayky Brito, então não incide crime em relação ao ator.

Além disso, não é qualquer pessoa que testemunha alguém ferido e não socorre que é indiciado por omissão de socorro. O julgamento envolve inúmeros fatores, inclusive, o estado psicológico da pessoa que assistiu ao acidente. Ou seja, a conduta de De Luca pode ser avaliada, tendo em vista que ambos eram próximos, mas perante a lei, o ator não cometeu crime algum. 

Entenda o caso de Kayky Brito

O artista de 34 anos foi atropelado na Barra da Tijuca, na zona oeste da capital fluminense, na madrugada de sábado (2). Ele foi atingido por um carro quando atravessava a Avenida Lúcio Costa, na orla da cidade.

A princípio, Kayky foi levado pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon, na Zona Sul do Rio. Logo depois, foi transferido para o Hospital Copa D'or. Segundo a equipe médica, o ator foi diagnosticado com politrauma corporal, traumatismo craniano e fratura no braço direito. 

A Polícia Civil do Rio de Janeiro aguarda o resultado da perícia e também busca imagens de câmeras de segurança para investigar o caso. As informações indicam que o ator foi atropelado por um motorista de Uber, que levava uma passageira. 

O artista teria atravessado a avenida para buscar algo no carro e, ao voltar, acabou atingido. O motorista tentou desviar, mas não houve tempo. Ele passou pelo teste do bafômetro, que deu negativo, e prestou socorro no local.  

Nas redes sociais, a irmã do ator, Sthefany Brito, pediu que os fãs continuem orando para que o ator se recupere.

Redução de velocidade na orla do Rio 

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD-RJ), afirmou nesta segunda-feira (4) que determinou que a Companhia de Engenharia de Tráfego (CETRIO) apresente uma mudança no limite de velocidade na orla. A decisão do chefe do Executivo foi tomada após o atropelamento do ator Kayky Brito, na Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade.

“O atropelamento do ator Kayky Brito mostra bem que a velocidade permitida em muitas vias da cidade é excessiva. Imaginar que nossa Orla - um lugar de contemplação, lazer e paz - tem velocidade máxima de 70km, é um absurdo.  Independentemente de responsabilidades no caso em questão, não é admissível manter isso”, publicou Eduardo Paes na plataforma X, antigo Twitter. 

“Já determinei que a CETRIO me apresente ainda essa semana uma mudança no limite da orla do Rio. E vamos avançar com essas mudanças em outras vias da cidade!”, completou o político. 

Tópicos relacionados

Mais notícias

Carregar mais