Notícias

Dona do 1° restaurante de Pesadelo na Cozinha faz revelações inéditas

Após vender o Escondidinho da Amada, proprietária colocou fim no seu casamento e voltou para o Nordeste

Da redação 17/12/2021 • 12:14 - Atualizado em 17/12/2021 • 16:27
Amada e Fernando ouvem o chef.
Amada e Fernando ouvem o chef.
Carlos Reinis/Band

O episódio primogênito da 1° temporada de Pesadelo na Cozinha fez história com a equipe do Escondidinho da Amada. Hoje, após 5 anos, a ex-proprietária do estabelecimento falou sobre a venda do espaço e também fez revelações inéditas sobre um assunto que gerou muita polêmica: seu casamento e sociedade com Fernando. 

Em 2017, Amada aceitou participar do reality com muita insegurança e medo do que viria pela frente, já que a exposição da sua vida pessoal e profissional era inevitável: “Eu ficava com muito receio das pessoas conhecerem o dia a dia de trabalho com o meu esposo”, afirmou Amada em entrevista exclusiva ao Portal da Band. 

Após o programa ir ao ar, Amada aproveitou a boa repercussão do seu episódio para trabalhar duramente até alcançar seu principal objetivo: vender o restaurante e voltar para o Nordeste, região que sua família sempre morou: “O trabalho era muito árduo e não existia folga, além da relação com Fernando não facilitar a situação”. 

Enquanto Amada manteve as portas abertas do restaurante, a proprietária afirmou que algumas receitas deixadas por Jacquin foram mantidas no cardápio, outras ela retirou, como o escondidinho de camarão: “Eu tinha muito receio de vender o escondidinho de camarão, pois ele é muito perecível”. Devido às crises, algumas pessoas da equipe também não foram mantidas: “Os únicos que ficaram foram o Jefferson e o Amadão”

Em 2019, Fernando ainda fazia parte do plano de vida da Amada, que se resumia em pagar as contas do estabelecimento e ir embora de São Paulo para Aracaju, no entanto, o casal chegou ao fim no começo de 2021: “Tentamos até fazer terapia de casal”. 

O Escondidinho teve um grande significado na vida de Amada, mas ele precisou chegar ao fim: “Ele era como se fosse meu filho, sempre falei que o restaurante tinha a minha alma”. Apesar de desejar encerrar esse capítulo construído em São Paulo, a participante revelou que os aprendizados deixados por Jacquin agregaram muito na sua construção como cozinheira: “Ele me ensinou a misturar corretamente os ingredientes” 

Hoje, Amada trabalha no salão de um grande restaurante em Aracaju e ressalta que está recomeçando sua vida com um único objetivo: voltar a ser feliz: “Estou tentando buscar minha vida e me reerguer de novo”.