Notícias

Restaurante sujo? Veja sinais de que a higiene do estabelecimento é cilada

Da redação 21/02/2021 • 12:45 - Atualizado em 23/02/2021 • 22:13
Restaurante sujo? Confira sinais de que a higiene do estabelecimento é cilada
Restaurante sujo? Confira sinais de que a higiene do estabelecimento é cilada
Unsplash

Se tem algo que Pesadelo na Cozinha ensinou ao público, ao longo de duas temporadas, é que nem sempre os restaurantes seguem as normas de higiene e de qualidade necessárias. Antes de comer fora, é preciso estar atento aos detalhes para não correr o risco de encontrar cozinhas sujas e com produtos ruins. Confira abaixo no que ficar de olho: 

Na limpeza, um ambiente é reflexo do outro 

Ninguém gosta de comer em um ambiente sujo, descuidado e desagradável. Por isso, a limpeza de um restaurante é tão importante para sua popularidade e pauta as primeiras impressões de quem o visita. 

Longe dos olhar atento do público, é nos bastidores que mora o perigo. Por este motivo, o cliente deve levar em consideração os detalhes. É o que explica Mônica Glória N. Spinelli, professora de Nutrição da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Para ela, a regra é clara: “Como profissional ou cliente, sempre olho o estado do banheiro do restaurante. Costumo dizer que, se ele não estiver limpo, não espere que a cozinha esteja”. 

Um bom sinal do diagnóstico do que vem pela frente, o banheiro indica um padrão. “O gestor da casa visa um nível de qualidade e, seguindo isso, não existe como um lugar estar impecável e o outro, não. Para mim, a higiene dos serviços começa ali”, orienta. Dica anotada, lembre sempre de analisar também como está a higiene do piso, da mesa, dos talheres e dos copos. Em um restaurante com a cozinha aberta, por exemplo, vale dar uma conferida na situação.

Dicas de especialista!

No site da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é possível encontrar guias com boas práticas para clientes e profissionais de restaurantes. Algumas dicas mostram que, em locais com venda de alimentos, as equipes devem seguir alguns hábitos de higiene, como manter as unhas cortadas, o cabelo e a barba protegidos. A norma existe porque todas as pessoas têm, na boca, nas mãos e no nariz, bactérias que podem ser transmitidas aos alimentos e causar doenças. 

De acordo com os guias, o lixo deve sempre estar revestido com sacos plásticos, tampado e deve ficar longe dos alimentos. Além disso, não é permitido varrer o ambiente a seco, suspendendo a sujeira para o ar, e é proibido limpar e higienizar as instalações e equipamentos durante as etapas de manipulação dos alimentos. 

Pão quentinho e sinais da qualidade 

De acordo com Mônica, restaurantes atenciosos, que demonstram receptividade e oferecem algo extra aos clientes, como um pão quentinho na entrada, em geral costumam prezar pela qualidade dos serviços e produtos. “É uma preocupação com o cliente. Demonstra carinho e dificilmente o que vem na sequência será ruim.” 

Também vale a pena observar como os pratos chegam na mesa e, ao provar, analisar se a aparência é saudável, assim como o gosto e as texturas. Infelizmente, mesmo com atenção aos detalhes, às vezes é impossível identificar algo que vá fazer mal. “Nem sempre a qualidade do alimento pode ser avaliada de forma superficial. As grandes contaminações não alteram as características da comida”, afirma. 

Muitos restaurantes têm práticas ruins e que podem comprometer o bem-estar dos clientes, como o reaproveitando de alimentos feitos em outros dias e até mesmo a utilização de produtos vencidos. Fique de olho e procure indicações sobre o estabelecimento antes de visitá-lo. 

  • pesadelo na cozinha
  • restaurante
  • jacquin