Notícias

Sibele, da Hero's Burger, diz que filha entrou em momento errado da gravação

Sibele, dona da Hero’s Burger, revela que filha entrou no momento errado da cena e foi preciso gravar um novo encontro; assista:

Da Redação, com Pesadelo na Cozinha 11/04/2022 • 18:49

No 13° episódio da série digital ‘A Conta Chegou’, Sibele, proprietária da Hero’s Burger, abre o jogo sobre as principais polêmicas que aconteceram na hamburgueria da 2° temporada e explica conflitos com Bruno -  auxiliar de cozinha que precisou ser levado ao hospital por causa de uma crise asmática. Revelando, também, que o exato momento do reencontro com sua filha não foi ao ar: “Eles entraram no momento errado da gravação”. Assista acima! 

A Hero’s Burger foi palco de grandes desentendimentos e preocupações, principalmente quando Bruno ficou sem ar após inalar a fumaça da churrasqueira. Em entrevista exclusiva, Sibele esclarece sobre o acontecimento que gerou grande repercussão entre os telespectadores e explica como a situação aconteceu de fato: “Ele estava fumando na hora que fui socorrê-lo. A produção ofereceu ajuda. Fomos para o hospital enquanto a gravação rolava. O médico atendeu, mas ele não quis ser medicado e preferiu ir embora”. 

Apesar de os estresses terem sidos marcantes no episódio, Sibele pontuou sua recordação favorita e explicou porque o melhor momento do seu episódio não foi ao ar: “A produção conseguiu o número do meu pai e, para me fazerem uma surpresa, combinaram de deixar minha família em um local próximo para eles aguardarem a hora certa de entrarem no restaurante. Acontece que meu pai foi direto para a Hero’s Burger e eu comecei a chorar muito no meio da gravação quando vi minha filha. Eles [a produção] tiveram que cortar essa parte, pois ‘estragaram’ a surpresa”. 

Diante de tantas emoções, a empresária – que precisou dobrar de estrutura para dar conta de toda demanda – afirma que o receio existiu durante todo o processo com o chef Jacquin, mas comenta que foi necessário passar por cima do medo: “Eu não tive vontade de desistir. Algo dentro de mim falava que era para eu resistir, aguentar, ser firme até o final. Eu não gosto de deixar as coisas pela metade”.

Sibele também sofreu com a pandemia e falou sobre o momento delicado: “Depois que os restaurantes foram abertos, continuamos com movimento, não fomos esquecidos. Mas, nesse abre e fecha, rodou muita gente. Não consegui ter crédito ou algum tipo de ajuda”.