Entretenimento

Quem é o modelo Bruno Krupp, preso por atropelar e matar jovem no Rio

Bruno Krupp, de 25 anos, é modelo fotográfico e faz parte de uma das maiores agências de modelos do país. Ele foi preso nesta quarta-feira (3)

Da Redação 03/08/2022 • 11:41 - Atualizado em 03/08/2022 • 12:09
O modelo Bruno Krupp
O modelo Bruno Krupp
Reprodução/Instagram

O modelo Bruno Krupp, de 25 anos, que foi preso após atropelar e matar o adolescente João Gabriel Cardim Guimarães, de 16 anos, é modelo fotográfico e faz parte da agência 40 Graus Models, uma das maiores agências do ramo no Brasil.

O também influenciador digital acumulava mais de 140 mil seguidores nas redes sociais, mas desde o acidente, trancou o perfil. Ele compartilhava seus trabalhos como modelo, momentos na praia, e práticas de esporte.

No final do ano passado, Bruno Krupp engatou um namoro com a influenciadora digital Sarah Poncio. O relacionamento foi assumido nos últimos dias de dezembro após serem flagrados juntos em diversas ocasiões. O romance, porém, chegou ao fim dois meses depois. 

A agência de modelos que Bruno faz parte divulgou nota lamentando o ocorrido e disse que está solidária a família da vítima. 

O acidente fatal

No último sábado (30), Bruno Fernandes Moreira Krupp atropelou e matou o estudante João Gabriel Cardim Guimarães, de 16 anos. A perna da vítima foi decepada no momento do acidente e foi encontrada cerca de 150 a 200 metros do local da batida, na orla da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.  

O adolescente estava acompanhado da mãe, que não sofreu ferimentos. João Gabriel chegou a ser socorrido e levado ao hospital com vida, mas não resistiu aos ferimentos. Bruno sofreu escoriações e também foi encaminhado para o hospital. 

Segundo informações da Band Rio, o modelo vai responder por homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar devido as atitudes tomadas. Bruno dirigia a moto em alta velocidade e não tinha habilitação.

Passagem por estupro e estelionato

Bruno Krupp também já tinha passagens pela polícia e por estupro e estelionato. Em julho deste ano, uma mulher denunciou que foi até a casa de Bruno e o modelo forçou relações sexuais com a vítima e, apesar de ter ingerido bebidas alcoólicas, a vítima relatou não estar vulnerável e ter pedido para o que o agressor parasse o ato. O caso ainda está sendo investigado.

Em abril de 2021, Bruno também foi denunciado por estelionato por ter deixado uma conta de R$ 428 mil sem pagar num hotel em São Conrado, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Ele vai ficar preso sob custódia no Hospital Marcos Moraes, no Méier, Zona Norte do Rio, onde segue internado depois do acidente.