Entretenimento

Regina Braga volta aos palcos com 'São Paulo' e fala de amores em entrevista

A atriz volta em cartaz com o espetáculo "São Paulo" nesta sexta-feira (5), às 20h, no teatro Itália Bandeirantes

Gisele Alquas 05/08/2022 • 13:20 - Atualizado em 05/08/2022 • 18:12
Regina Braga no espetáculo "São Paulo"
Regina Braga no espetáculo "São Paulo"
Reprodução/Instagram

Uma das maiores atrizes do Brasil, Regina Braga deixa qualquer espectador hipnotizado quando sobe aos palcos ou aparece em produções da TV. De um talento ímpar, a veterana volta em cartaz nesta sexta-feira (5), às 20h, no teatro Itália Bandeirantes, com o espetáculo “São Paulo”, de direção de Isabel Teixeira, a Maria Bruaca de “Pantanal”, que destrincha os amores e as delícias de se viver na cidade. Foi, inclusive, São Paulo  - e o teatro - que a uniu ao marido, médico e escritor Drauzio Varella.

Em entrevista ao Band.com.br, Regina Braga lembra o início desta história de amor que dura há mais de 40 anos. Ela era professora do curso teatro do Museu de Arte Moderna, e Drauzio seu aluno. 

“Foi um privilégio ter encontrado o Drauzio. O curso era para 25 alunos e, no primeiro dia, tinha 24. Eu estava tensa para que desse tudo certo e propus um exercício de se comunicar apenas por expressões. Uma hora depois, quando estava todo mundo concentrado, batem na porta. O porteiro avisa que tinha alguém que queria participar. Eu, meio incomodada, deixei. Aí entra Drauzio de jeans e camisa branca. Eu falei para ele entrar rápido e não falar nada, nem perguntei o nome para não atrapalhar os outros alunos. No dia seguinte que ele se apresentou, já que no primeiro mandei ele ficar quieto”, conta a atriz, aos risos. 

Regina lembra que o curso era com aulas práticas, o que assustou o médico no início. “Ele achou que era um curso de história do teatro, que iria ficar sentado ouvindo as pessoas falarem. Mas ele se destacou. E quando me vi estava muito interessada naquela pessoa que fazia e dizia coisas tão interessantes”. 

"São Paulo é grande, vou perdê-lo"

Regina Braga e Drauzio Varella se divertiam nas aulas e rolou química entre os dois. A atriz lembra que nos últimos dias do curso entrou em desespero, pois acreditava que nunca mais o veria. “Me pegava em alguns momentos conversando com ele no meio daquele grupo. Pensava: “estou dando bandeira demais”, conta, aos risos. “Fui ficando muito nervosa porque ia acabar o curso e achei que nunca mais iria vê-lo. Falava: ‘São Paulo é muito grande, vou perder ele”. 

No último dia de aula, a atriz tomou a iniciativa e convidou Drauzio para jantar. Ele, claro, aceitou. “Estávamos saindo do curso quando ele puxou conversa.. Foi a primeira vez que falamos assuntos sem serem sobre as aulas. E eu convidei ele para jantar. Iria encontrar minha amiga Lílian Lemmertz. Rimos muito e ficamos amigos. E a partir dali começamos a namorar”, lembra. 

São quatro décadas de uma  história de amor. O casal é discreto na vida pessoal, mas em 2020, no aniversário da atriz, o médico fez uma linda declaração para a amada, o que causou alvoroço nas redes sociais. Tudo porque muitos internautas não sabiam que os dois eram casados. 

Regina conta que ela e o marido se divertem com os memes sobre a surpresa de eles serem um casal e exalta a capacidade de Drauzio, escritor de obras como Carandiru, de atingir todos os públicos. 

“O Drauzio tem fãs crianças de seis anos. Ele anda pelas ruas e é conhecido por todo mundo. O livro dele ‘Nas Ruas do Brás’, adotado pelo governo, é lido nas escolas por crianças de 7 anos. O Drauzio recebe cartas e manifestações maravilhosas de crianças. Nos divertimos. Ele tem uma capacidade de comunicação com qualquer tipo de gente. É um grande educador. Consegue transformar conceitos muito difíceis que você se sente próximo, consegue entender. O Drauzio é uma pessoa muito importante para o Brasil, fala com qualquer pessoa de qualquer idade. Fico impressionada e tenho a maior admiração por ele”, elogia a atriz.  

As dores e delícias de “São Paulo”

O espetáculo "São Paulo" passeia pelos encantos, mistérios e fatos curiosos da cidade de São Paulo, que ganha vida em textos e músicas garimpados ao longo de uma extensa pesquisa, apresentados de forma divertida, leve e surpreendente. Dividindo o palco com Regina Braga, estão os músicos e atores Xeina Barros (voz e percussão), Alfredo Castro (voz e percussão), Vitor Casagrande / Maik Oliveira (voz, cavaquinho e bandolim) e Gustavo de Medeiros e Guilherme Girardi (voz e violão).

A ideia do espetáculo surgiu há dez anos, estimulada pela leitura do livro “A Capital da Solidão”, de Roberto Pompeu de Toledo. A atriz conta que graças ao livro, sua relação com São Paulo passou a ser mais amorosa e que ela buscou entender os lugares descritos na obra. 

“A concepção do espetáculo foi surgindo a partir do material que fui selecionando, me encantando com as coisas que queria dizer. Na medida que fui tendo essas informações, juntei tudo com a Isabel.  A ideia era fazer este espetáculo ser como se fosse uma reunião em torno de uma mesa, de uma roda de samba em que estou com os músicos falando sobre a cidade”, contou ela. 

Parceira da vida

A parceria de Regina Braga com Isabel Teixeira, que faz grande sucesso como Maria Bruaca, em “Pantanal”, só faz engrandecer o espetáculo. Amigas de longa data, elas já trabalharam diversas vezes juntas. "A considero uma pessoa da minha família. “Nos conhecemos na plateia, no caso eu estava assistindo a um espetáculo dela, fiquei encantada e fascinada com o talento da Bel. As cenas brilhavam quando ela surgia e no final da peça nos falamos. 

“Algum tempo depois, fui chamada pelo Bruno Barreto para fazer uma peça americana chamada ‘Duvida’ e tínhamos que selecionar os atores que fizeram testes. E a Isabel fez. Queria que fosse ela e foi”, contou Regina. A partir daí, as atrizes construíram uma relação forte de trabalho e amizade. 

“Começamos a ter projetos juntas. Uma vez fui ler um texto que foi publicado na revista do Instituto Moreira Sales e fui convidada a ler esse texto. A Bel foi ouvir a leitura e me incentivou a transformar esse texto numa peça. E fizemos este primeiro trabalho juntas, eu como atriz e ela como diretora. Foi uma maravilha esse trabalho”, lembra atriz.

Regina e Isabel também trabalharam juntas no espetáculo “Agora Vou Ficar Bonita”, escrito por Drauzio Varella, marido de Regina. “O texto era em cima da ideia do envelhecimento. Fomos recolhendo material interessante sobre esse tema e fizemos um espetáculo musical que foi onde conheci esses músicos maravilhosos que estão aqui comigo. Minha parceria com a Bel é pro resto da vida”, emociona-se.