Entretenimento

Termina julgamento em que Johnny Depp processa Amber Heard por difamação

Os advogados do ator pediram aos jurados pela restauração de sua reputação com um veredicto em seu favor. Já os advogados da atriz pediram que eles reconheçam os direitos dela à liberdade de expressão em sua decisão

Lisa Richwine, da Reuters 27/05/2022 • 16:34 - Atualizado em 27/05/2022 • 16:55
Johnny Deep e Amber Heart se enfretam no tribunal
Johnny Deep e Amber Heart se enfretam no tribunal
Reuters

Terminou na tarde desta sexta-feira (27) o julgamento em Johnny Deep processa Amber Heart por difamação. Os advogados do ator fizeram um pedido aos jurados pela restauração de sua reputação com um veredicto em seu favor, enquanto os advogados da ex-mulher dele pediram que eles reconheçam os direitos da atriz à liberdade de expressão em sua decisão. A decisão dos jurados pode sair nesta sexta-feira ou em até 30 dias.

O astro de "Piratas do Caribe", de 58 anos, processou Heard pedindo 50 milhões de dólares, argumentando que ela o difamou quando se autodenominou uma "figura pública representando o abuso doméstico". 

Heard, de 36, abriu um outro processo pedindo 100 milhões, dizendo que Depp a caluniou quando seu advogado chamou suas acusações de "farsas". O ator nega ter agredido Heard ou qualquer outra mulher, e disse que ela foi a pessoa que se tornou violenta na relação. 

"O sr. Depp passou por abusos verbais, físicos e emocionais persistentes da sra. Heard", afirmou a advogada dele Camille Vasquez em seus argumentos finais. Ela disse que as alegações de Heard sobre abusos de Depp, incluindo uma suposta agressão sexual com uma garrafa de bebida alcoólica, eram "loucas, exageradas e não era plausíveis", e que as denúncias haviam arruinado sua reputação em Hollywood e entre seus fãs. 

O advogado de Heard, Benjamin Rotternborn, em seu argumento de encerramento, lembrou os jurados das mensagens de texto explícitas de Depp a seus amigos ou associados. Em uma delas, Depp chamava Heard de "vagabunda suja" e disse que a queria morta e que "violaria seu cadáver queimado".