Entretenimento

"Violência sem tamanho", diz amigo que filmou homem sendo morto em supermercado

Da Redação, com Melhor da Tarde 20/11/2020 • 15:45 - Atualizado em 20/11/2020 • 16:41
Homem negro é espancado e morto em supermercado em Porto Alegre
Homem negro é espancado e morto em supermercado em Porto Alegre
Reprodução/Band

No Dia da Consciência Negra, uma notícia muito triste. Um homem negro de 40 anos morreu após ser agredido por dois seguranças dentro de uma unidade do supermercado Carrefour em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

A vítima, identificada como João Alberto Silveira Freitas, teria discutido com a caixa do estabelecimento e foi conduzida pelos seguranças da loja até o estacionamento, no andar inferior.

Leia mais
- Polícia investiga testemunhas que não impediram agressões em supermercado
- Pai de homem negro morto em supermercado acusa seguranças de racismo

No caminho, testemunhas falaram que eles entraram em luta corporal e começou o espancamento. Beto não resistiu aos ferimentos e morreu. Os agressores foram presos em flagrante. 

Paulo Paquetá, amigo da vítima e responsável por uma das filmagens da agressão, disse em entrevista ao Melhor da Tarde nesta sexta-feira, 20, que presenciou uma "violência sem tamanho”.

Assista à entrevista de testemunha do crime ao Melhor da Tarde:

De acordo com Paquetá, a atitude dos seguranças do supermercado é bastante comum. Eles teriam isolado a área e ignorado o apelo de testemunhas para que a violência parasse. "Não vem de agora, vem de tempo. Já é de prática deles levar para o estacionamento e, lá, começar as agressões", afirmou.

O amigo também enfatizou a dor dos entes de Betinho, como era conhecido o homem morto no supermercado. “É muito complicado. O pai do Betinho é um senhor que enfartou duas vezes já, está meio debilitado e ver o filho naquele estado... A esposa dele estava no local também. É muito complicado”, concluiu. 

  • Melhor da Tarde